* Por Ivan Cruz

A pandemia da Covid-19 alterou a dinâmica de muitas empresas, que tiveram, entre tantas mudanças, de migrar sua forma de trabalho para a modalidade remota, o chamado home office. Porém, com o avanço da vacinação, muitos dos funcionários estão voltando aos escritórios, seja em tempo integral ou modelo híbrido.

Nesse formato flexível, os colaboradores podem exercer suas atividades na estrutura física da organização e outra parte no home office, de forma mais confortável e segura. O benefício é para todos, desde gestores a funcionários, já que mescla a socialização com os colegas de equipe ao mesmo tempo que mantém a flexibilidade de trabalho.

Neste cenário, uma pergunta recorrente é: como será o futuro do trabalho com o modelo híbrido? Não há respostas prontas, mas existem algumas pistas. Uma delas é apostar na tecnologia como principal aliada na rotina de trabalho, e isso deve partir de profissionais de RH e gestores. E, aqui, vale uma digressão: durante a pandemia do coronavírus, empresas não adaptadas a esse ambiente tecnológico tiveram de interromper suas operações. Uma situação dramática. O uso da tecnologia permite ao setor de RH que otimize, conduza e agilize processos internos. Além disso, fornece suporte para resolver problemas. Ferramentas digitais assumem o protagonismo do processo.

Antes, era necessário realizar uma série de processos que exigiam esforço físico. Agora, há menor custo financeiro e de tempo para realizar as mesmas atividades, mas por meio de uma ferramenta que automatiza tudo. Independentemente do modelo de trabalho, essas ferramentas são essenciais para manter o time engajado e com alto desempenho. Utilizar pelo menos uma ferramenta pode ajudar as empresas a passar pela transformação digital de forma ágil e rápida.

E ter estratégias que ajudem a aumentar esse nível de engajamento e desempenho gera um vínculo afetivo maior entre empresa, gestores e colaboradores. Inclusive, estimula a busca por melhores resultados, já que se tem um alinhamento maior sobre o que é esperado de cada um. Por meio da tecnologia, se criam canais de comunicação interna que informam sobre normas, políticas da organização, metas, indicadores de desempenho e outros informativos em geral. De forma geral, isso ajuda na integração dos setores, independentemente de onde as pessoas estão, e favorece a comunicação interna, melhorando o desempenho e engajamento de cada time com os objetivos da organização.

Com a implementação de sistemas assim, o RH tem mais controle e gestão de tudo o que acontece na organização, podendo analisar os dados e ter uma visão mais ampla dos passos a serem seguidos. Além disso, o uso de ferramentas e softwares centralizam e automatizam os processos, independente de se ter o modelo remoto ou o híbrido de trabalho.

Em um mercado cada vez mais competitivo, fato é que as tecnologias assumem um papel fundamental na corrida por melhores resultados nas empresas, permitindo maior vantagem sobre os concorrentes. E o RH é peça-chave nesse processo. Com tecnologia, agilidade e autonomia, o capital humano recebe a importância necessária: ser visto como principal recurso de sucesso do negócio.


* Ivan Cruz é Cofundador da Mereo, startup de gestão de pessoas.