A Credix acaba de levantar US$ 2,5 milhões em uma rodada Seed com o objetivo de construir um marketplace de crédito DeFi (finanças descentralizadas) para fintechs. A startup cria uma ponte entre o ecossistema de blockchain Solana e o mercado de fintechs através do acesso a um funding flexível e mais barato em comparação às principais fontes de funding atuais, especialmente os FIDCs (fundos de investimento em direito creditórios).

O aporte foi liderado pela DRW Cumberland e pela ParaFi, com participação das gestoras cariocas Fuse Capital e Transfero Swiss BRZ Solana Ecosystem Fund, e Solana Ventures, Petrock Capital, MGN e Parrot, que juntas somam uma ampla variedade de smart capital.

Em janeiro de 2022, a Credix viabilizará a primeira operação de crédito do mundo de crypto para quatro fintechs -entre elas a a55, uma parceira da Fuse-, e na sequência a outras 15 fintechs da América Latina. Os investidores eliminam a volatilidade de crypto usando USDC, criptomoeda com lastro em moeda física. Além disso, a empresa planeja apoiar a Brazilian Digital Token (BRZ) e lançar seu próprio token ano que vem.

Fintechs de crédito e outras instituições de crédito não-bancárias na América Latina poderão tomar até o equivalente a US$ 20 milhões, usando tanto colaterais recebíveis, assim como, futuramente, outros ativos reais. Tais recursos podem ser emprestados para seus clientes em moeda local. Essa solução digital reduz o tempo de operação em até 80%, além de permitir taxas muito mais competitivas. 

Diversos investidores institucionais ou qualificados poderão investir em créditos específicos, com retornos mais elevados em junior tranches, assim como de uma forma mais pulverizada, com menor risco, em senior tranches -nesse caso, investidores de varejo também podem investir.

“Acreditamos fortemente que a tecnologia de blockchain tem o potencial de disruptar os mercados globais de dívida. Ao unir o mundo das finanças descentralizadas com ativos  reais, podemos agregar um valor imenso para o mercado. Nos países emergentes, crédito chega a custar 250% ao ano. Com a confiança e comprometimento de nossos investidores, estaremos ainda melhor posicionados para acelerar nossa missão de democratizar o  crédito com impacto social positivo”, diz Thomas Bohner, fundador e CEO da Credix.

* Foto em destaque: Thomas Bohner, Maxim Piessen e Chaim Finizola; Founders da Credix.


Quer acompanhar de perto todos os investimentos no ecossistema de startups? Siga as redes sociais Startupi e acesse nosso ranking de investimentos do mês.