* Por Pedro Signorelli

Entramos no último mês do ano e certamente já não há muito o que fazer para alcançar algumas metas estipuladas para 2021. O momento ainda é de apreensão, hora se fala em retomada de atividades, hora em retomada de restrições frente a uma nova cepa da Covid-19. Diante de tantas incertezas, é ainda mais importante a realização de um balanço minucioso sobre as ações que funcionaram e aquelas que precisam ser repensadas na gestão de sua empresa. 

É preciso aprender com o que não funcionou para não repetir os mesmos erros. Com certeza vamos cair em cascas de banana em 2022, mas que não sejam as mesmas de 2021. Além disso, para o futuro precisamos avaliar se as metas estabelecidas para este ano permanecem válidas. O mundo está mudando cada vez mais rápido, os objetivos devem acompanhar este movimento.

Repense seus investimentos e foque no que de fato é necessário. Tem muita gente fazendo investimento arriscado. Quer um conselho? Invista pesadamente em conhecer seus clientes e na estruturação de um sistema de gestão que, inclusive, vai minimizar o seu risco nos demais investimentos, como no desenvolvimento de produtos, sua estratégia de go-to-market e etc. 

Tenha sempre as metas em mente, pois na contramão do que desejamos, há um erro comum que pode levar tudo a perder, a falta de foco. Quando tentamos alcançar diversos objetivos, podemos nos desviar ao longo do caminho. O mais importante é definir as principais metas para o momento e alinhar todos em torno daquilo que é prioridade, você deve  encarar as ações como meio, não como fim. 

Isso com certeza vai facilitar o processo de transformação para que as pessoas de sua equipe trabalhem por resultados, com sentimento de dono, participando das tomadas de decisão de maneira muito mais engajada. Você gestor precisa saber delegar resultados e não tarefas. Quando miramos os resultados, deixamos de executar o trabalho no modo automático. 

Um dos muitos aprendizados obtidos nesses tempos turbulentos e que certamente todo gestor deve levar consigo de agora em diante, é pensar no planejamento de curto prazo. Planejar e agir em ciclos curtos, orientando-se pelo impacto causado pelas ações e reajustando a rota quando necessário. É preciso avaliar constantemente se o que foi definido como prioridade em certo momento continua como tal. Estabelecer metas trimestrais, além das anuais, faz com que a empresa possa avaliar se os resultados estão sendo alcançados como o esperado ou se é preciso mudar. A trilha perfeita passa por reforçar aquilo que faz sentido e complementar com o que está faltando. 

É aí que entra a aplicação de um planejamento baseado em OKRs – Objectives Key Results -, que  permite a avaliação constante de resultados e de objetivos em ciclos mais curtos. Em um contexto de volatilidade maior, como o atual, nos permite fazer adaptações que vão nos levar ao sucesso. 

Ainda não sabemos se os tempos desafiadores da pandemia estão finalmente terminando. Mas se o gestor ainda não  entendeu a necessidade de se adaptar aos novos tempos, ele corre um grande risco de perder mercado, ou, mais grave, fechar as portas definitivamente. Nesta linha, ou você conhece muito bem seu segmento e as transformações pelas quais ele certamente está passando, ou passará, ou tem que investir em conseguir copiar o que a concorrência está fazendo. Jeff Bezos preferiu apostar no primeiro.


PedroPedro Signorelli é especialista “insider” na implementação de OKR em empresas de diversos tamanhos e segmentos, e ministrando palestras e workshops de implementação de OKR.