O Fundo Criatec, administrado pelas gestoras KPTL e Antera, anunciou a venda da Imeve, startup especializada em próbióticos para nutrição animal, por R$ 47 milhões. Os fundadores da startup, que preferiram ficar no anonimato, recompraram a parte da empresa que foi adquirida pelo Criatec, realizando desta forma um retorno de 6,5 vezes sobre o capital investido para os cotistas do fundo.

A Imeve desenvolve e produz soluções sustentáveis, diferenciadas e de alta qualidade para o mercado veterinário como aditivos próbióticos, medicamentos para grandes animais, suplementos e produtos para a linha PET e se confirmou como mais uma grande decisão de investimento do Fundo Criatec. Estima-se que o mercado brasileiro de aditivos biológicos para alimentação animal (bovinos, suínos e aves) ultrapasse os R$ 2 bilhões anuais – e globalmente, mais de R$ 20 bilhões. Além disso, o país é um dos maiores produtores de gado, aves e suínos do mundo e o mercado global pressiona pela restrição de aditivos químicos.

Segundo Paulo Tomazela, sócio da KPTL, o case Imeve exemplifica como uma empresa já madura conquista crescimento acelerado e passa a um outro patamar de negócios a partir do aporte de um fundo como o Criatec. “Entre os fatores decisivos para o crescimento acelerado da Imeve, destaco a implantação da cultura de planejamentos estratégicos anuais e com isso a adoção de um plano comercial mais agressivo, o investimento na adequação da fábrica e o aumento no portfólio de produtos”, afirma.

Pioneiro em investimentos de capital semente no Brasil, o Criatec efetivou sua 31ª saída de uma carteira original de 36 investimentos realizados entre 2008 e 2013. O Fundo Criatec, criado a partir de um edital público lançado pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) em 2007 e co-investido pelo Banco do Nordeste (BNB) em 2008, é hoje gerido em conjunto pela Antera Gestão de Recursos e KPTL.

Segundo Robert Binder, Presidente do Comitê de Investimentos do Fundo Criatec e gestor da Antera, a Imeve foi selecionada para investimento pelo Fundo em 2011 porque era uma empresa dedicada à pesquisa e desenvolvimento e portadora de importantes inovações em nutrição animal, além, é claro, do enorme mercado estratégico em que atua. “São 10 anos de parceria que agora chegam ao seu fim natural e que demonstram, por resultado, a importância do investimento em tecnologias nacionais e o longo ciclo de maturação para investimentos desta natureza”, afirma Binder.

Ao longo dos anos a Imeve ajudou produtores a elevarem seus ganhos com a redução de mortalidade e aceleração de ganho de peso, por meio de seus produtos de alta performance criados por sua equipe de P&D. Alguns acordos com parceiros permitem à Imeve o desenvolvimento de seus produtos, além de possuir uma planta produtiva com selo de Boas Práticas de Fabricação. Desta forma facilita-se a venda para grandes players, mais exigentes, por meio de canais de venda eficientes, que ampliam a capacidade de negociação em um contexto cada vez mais competitivo.


A Imeve é uma empresa de excelência em seu segmento, sendo uma das primeiras a possuir a certificação de seus aditivos próbióticos para produção orgânica. Oferece aos clientes um portfólio diversificado: próbióticos, medicamentos e soluções para o mercado bovino, suíno, equino, avicultura, piscicultura e pets. Por sua raiz acadêmica, a Imeve mantém ótimo relacionamento com centros de P&D de veterinária e zootecnia do Brasil, o que a coloca na vanguarda da pesquisa no país que é um dos maiores produtores mundiais de proteína animal.

*Foto em destaque: Sede Imeve.