* Por Andréia Rengel

Ter no currículo um curso de destaque nem sempre é o suficiente para garantir a tão desejada vaga no emprego dos sonhos. O profissional atual precisa ter algumas habilidades (chamadas de ‘soft skills’) que agreguem ao ambiente de trabalho. Essas aptidões muitas vezes já nascem com os indivíduos, outras, porém, precisam ser desenvolvidas ao longo da formação. Mas quais são essas habilidades que o mercado de trabalho tanto busca em um profissional?

Anualmente, o Fórum Econômico Mundial disponibiliza um relatório sobre o futuro dos empregos e as características que os líderes dos mais variados segmentos acreditam ser fundamentais em um colaborador. Essas aptidões entram no guarda-chuva das Soluções de Problemas, conforme o relatório do Fórum. Nele, são levadas em consideração as habilidades do profissional de resolver situações diversas, com criatividade, trazendo inovação, análises elaboradas e pensamento crítico para refletir todos os aspectos da situação.

Além dessas características, o aspecto pessoal também é considerado. Uma pessoa com potencial de liderança, resiliente e com autogestão emocional para lidar com as cobranças, pressões e eventuais estresses das rotinas de trabalho se destaca no processo de seleção. O candidato precisa mostrar confiança e ter boa sociabilidade com os colegas, pois um time unido e harmonizado reflete em bons resultados.

O que tenho visto, em especial no mercado de tecnologia, é que se o profissional quer ter um destaque, é necessário habilidades que vão além só do domínio da tecnologia. Fundamentalmente, os candidatos precisam estar em constante aprendizado, sempre atentos às inovações do mercado tecnológico e também saber se comunicar de forma assertiva.

Para além desses tópicos apresentados para o profissional do futuro, aproveito para pontuar outras três habilidades que classifico essenciais para que o fluxo de trabalho ocorra da melhor maneira possível: valores, flexibilidade e foco nas pessoas.

  1. Mesmo que o profissional tenha todas as habilidades citadas anteriormente, é importante que ele esteja alinhado com os  valores e cultura da empresa. Assim, o trabalho fluirá de maneira mais harmoniosa.

  2. Outra qualidade é a capacidade de ser flexível aos mais diversos desafios e situações, além de saber se relacionar com distintos perfis dentro do time. É necessário entender que o trabalho é coletivo e, para isso, ter um bom relacionamento com a equipe é fundamental para que se possa colher os resultados.

  3. Mesmo que o seu cargo seja em uma área técnica, você ainda assim trabalhará com pessoas. Por isso, atente-se a elas, uma vez que uma comunicação clara e assertiva é chave para o sucesso de qualquer time.

Como comentado no início, algumas dessas habilidades já nascem com o indivíduo, mas outras podem ser desenvolvidas ou mesmo potencializadas ao longo da carreira. As pessoas são capazes de adquirir novas aptidões, caso estejam focadas e determinadas a serem as suas melhores versões.


* Andréia Rengel é CEO da AMcom, empresa que atua com sistemas personalizados, do core ao digital.