* Por Carlos Cavalcanti

O sistema de franquias é uma modalidade de negócios baseada em uma relação de semi-independência entre marca e investidor, mas, apesar da dependência parcial, destaca-se como um dos formatos que mais apresenta vantagens para ambos os lados, principalmente quando fica decidido pela internacionalização da franquia, já que o cenário se torna mais atrativo e aumenta a perspectiva de crescimento e de lucratividade.

Um estudo recente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil), mostrou que cresce exponencialmente o número de empresas brasileiras que querem levar seu nome para o exterior.

Em 2018, havia 145 redes brasileiras distribuídas em 114 países. Já em 2019, eram 163 redes com operações em 107 países, sendo que a concentração maior das marcas brasileiras no exterior permaneciam nos Estados Unidos (67 redes). 

Dados como esses mostram que os franqueadores brasileiros estão se desafiando cada vez mais e apostando de forma segura em novos mercados. Além disso, comprovam: a internacionalização de franquias é, sim, excelente estratégia de expansão de negócios. 

É importante ressaltar que a partir do momento que se tornam globais, marcas podem atingir patamares nunca imaginados, inclusive no próprio país de origem. Afinal, se tornam fortes referências dos setores em que atuam. Mas apesar de boa estratégia e em crescente expansão, franquias também têm desafios relevantes. Analise-os com cautela, pondere particularidades e considere todas as possíveis situações.

Veja a seguir quatro passos que devem ser seguidos por quem quer internacionalizar uma marca. 

1- Tenha capacidade financeira e marca consolidada no mercado brasileiro

O primeiro passo é ter solidez financeira para arcar com os custos exigidos nesse processo de internacionalização da marca, como pagar escritório especializado em IP, fazer adequações na franquia, entre outros.

Ter a marca consolidada no mercado brasileiro é um dos pré-requisitos para iniciar a internacionalização de uma franquia, pois o modelo de negócio servirá como base, ainda que necessite ser ajustado ao mercado estrangeiro. 

2- Identifique mercados novos

É muito importante que, antes de passar pelo processo de internacionalização, seja feita uma pesquisa de mercado para desbravar um nicho ainda não explorado. Além disso, ter uma pessoa especializada no assunto, localizada no país para onde você pretende ir, ajudará a identificar oportunidades e fará com que o seu negócio já entre em novos mercados com um potencial de crescimento maior do que outros. 

3- Adapte o seu modelo de negócio e inove

Após escolhidos os mercados-alvo, é hora de traçar estratégias relacionadas ao marketing e ao conhecimento do mercado. Nesse sentido, é preciso que a marca franqueada passe pela adaptação do modelo de negócio e inovação.

Não se esqueça de que uma rede de franquia deve manter o padrão da marca: não é porque vai se instalar em terras estrangeiras que o modelo de negócio precisa passar por completa modificação. Mas, depois de inserida em mercados externos, talvez você precise adaptar a sua franquia às exigências e rotinas do outro país. Nem sempre será possível replicar, por exemplo, operações brasileiras, então tenha flexibilidade e aceite mudanças.

Procure também criar um diferencial no seu produto ou serviço que salte aos olhos dos consumidores do seu novo país. Para isso, compreenda suas necessidades, adapte-se ao idioma, conheça a cultura local e estude comportamentos.

4- Planeje bem a estratégia

Se as suas considerações demonstrarem um cenário favorável, o próximo passo é estruturar o negócio. Inclusive, segundo o estudo feito novamente pela ABF, dessa vez em parceria com a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), 85% das franquias adotam práticas baseadas em rigoroso planejamento estratégico de explorarem mercados internacionais. 

Sabemos que, fora questões culturais e outros fatores, as disposições legais diferem de um país para o outro. Então, o mais recomendado para obter boa consultoria relacionada à expansão da sua marca é buscar uma assessoria jurídica especializada.

Nunca se esqueça: O processo não é simples e os riscos devem sempre ser bem calculados. E fique tranquilo, pois você não está só nessa missão.


Carlos André Cavalcanti é advogado especializado em marcas e patentes com mais de 20 anos de experiência na área de Propriedade Intelectual, sócio de Cavalcanti e Cavalcanti Advogados e sócio-gerente da Moeller IP Brazil, subsidiária da Moeller IP Advisors, escritório de advocacia com mais de 90 anos de experiência especializado em uma gama completa de Serviços de Propriedade e Assuntos Regulatórios em toda a América Latina. É parceiro no gerenciamento de bens de Propriedade Intelectual, para que seus clientes foquem na inovação, garantindo processos seguros.