* Por Alessio Mainardi

Uma transação de M&A — Mergers and Acquisitions (fusões e aquisições, em português) pode ser feita por pequenas, médias e grandes empresas. É um marco importante na vida de uma empresa, por isso, é fundamental entender o mercado e traçar uma estratégia para que esse tipo de negócio seja bem sucedido.

A primeira grande questão a ser resolvida em uma operação de M&A é o alinhamento dos interesses de quem compra e de quem vende. Por exemplo, a entrada no capital da empresa de um sócio de capital aberto ou de um fundo de investimento, pode gerar um aporte significativo de liquidez ou ainda garantir uma excelente remuneração para quem vende, mas, por outro lado, empresas de capital aberto costumam sofrer uma pressão maior para obter retornos de curto prazo.

Por outro lado, aceitar uma proposta de uma empresa de capital fechado permite um melhor alinhamento das estratégias de negócios focadas no médio e longo prazo.  A escolha do sócio investidor vai fazer toda a diferença na condução da empresa a partir da data de fechamento.

Um outro elemento que precisa ser analisado com muito cuidado são as dinâmicas das operações de M&A que vêm sendo realizadas nos últimos tempos e os valores envolvidos.  Aparentemente há a formação de uma “bolha financeira”, quando ativos passam a ser negociados com valores muito superiores ao seu valor presente.

É interessante observar como, ainda hoje, empresas de software que estão no mercado há anos conseguem levantar o interesse dos investidores,  mesmo apresentando um grande desequilíbrio nas contas. Muitas dessas empresas têm recebido aporte de fundos com uma estratégia de saída em dois ou três anos e, para isso, alavancam o crescimento da empresa por meio de uma liquidez que deveria ser aplicada no longo prazo.

O que vem ocorrendo é que, muitas vezes, parte destes recursos são aplicados para custear o funcionamento da empresa. Hoje, a maioria dos aportes é feita com base em projeções futuras que raramente se cumprem. Os investidores, com uma certa ironia, rotulam essas projeções como o “Livro dos sonhos do empreendedor”; não há nada errado em sonhar um futuro grandioso para sua empresa, mas o investidor deveria sempre ter um perfil prudencial. O desrespeito desta regra básica faz com que, em determinado momento não haja mais investidores dispostos a aplicar recursos seguindo essa lógica e a empresa será forçada a reestruturar suas operações através de cortes que podem chegar a ameaçar a sua própria sobrevivência.

Com anos de experiência em compra e venda de empresas, a multinacional italiana Zucchetti tem diretrizes específicas: busca empresas que independentemente do tamanho, consigam mostrar maturidade dos sócios e equilíbrio nas contas. Além das tradicionais avaliações que são realizadas em todo processo de M&A, o foco é na performance das pessoas das empresas-alvo e o motivo é simples: quem cria o valor das empresas são seus executivos, e as lideranças; logo, não faz sentido efetuar a compra caso essas pessoas pretendam sair.

Foi com esse mindset que ocorreram as 5 aquisições da multinacional italiana no Brasil e mais de 100 aquisições no mundo todo. Essa abordagem, além do processo de alinhamento de missão, cultura, valores e estratégia, fez com que a companhia conseguisse vencer a concorrência de investidores mais agressivos.

Com a pandemia, as empresas deixaram de fazer investimentos significativos, o que gerou um excesso de  liquidez no mercado; isso refletiu no aquecimento do mercado de M&A. Isso também impactou na super-avaliação de algumas empresas. Por outro lado, cada uma delas e cada operação é diferente; não adianta em uma negociação querer aplicar os mesmos critérios de avaliação que foram utilizados em épocas diferentes ou para avaliar um líder de mercado no seu segmento.

Para quem quer realizar M&A, é necessário considerar alguns pontos importantes. A jornada de aquisição é complexa, por isso, ter apoio de profissionais qualificados é fundamental. Em termos jurídicos, é importante entender tudo que esteja escrito e também não escrito em contratos. Entenda até onde sua transação pode ocorrer de forma sustentável e faça uma análise detalhada antes de fechar negócio. Por fim, mas não menos importante, seja transparente. Esta é uma característica fundamental para realizar o M&A com êxito.


* Alessio Mainardi é CEO da Zucchetti Brasil, empresa de Software de Gestão Empresarial para todos os tipos de negócio.