* Por Renato Alves

Antes da pandemia, o número de pessoas desempregadas já era alto. Já após a crise sanitária que atingiu o país, a parcela daqueles que  estão sem trabalho há muito tempo no Brasil aumentou de forma significativa. Isso auxiliou os brasileiros que já tinham o sonho de abrir o próprio negócio a darem o primeiro passo, visto que muitos se viram sem seus empregos. Segundo o Boletim do Mapa de Empresas do Ministério da Economia, no segundo quadrimestre de 2021 foram abertas mais de 1,4 milhões de novas empresas, registrando o melhor resultado desde 2011.

A vontade de empreender também aparece como o quarto maior desejo do brasileiro, segundo dados do levantamento Global Entrepreneurship Monitor (GEM). O que poucos sabem é que precisa-se de muita administração para entender os mitos e a desinformação sobre o universo desse setor, que muitas vezes são os fatos determinantes que impedem que as pessoas comecem seus próprios negócios. Na minha trajetória, por exemplo, já ouvi muitas vezes que apenas jovens têm chances de sucesso, mas o único ponto é o fato de que esse público – normalmente – são mais dispostas a arriscar.

Segundo dados do Sebrae, empreendedores com idade entre 54 a 65 anos são os que apresentam maior rendimento mensal, onde 14% ganham cinco salários mínimos. Também se fala muito sobre a necessidade de ter muito dinheiro para começar a empreender, mas hoje as microfranquias tem uma ótima aceitação, pois são conhecidas por terem investimentos iniciais que não ultrapassam R$ 105 mil e com isso são mais fáceis de investir. 

Além disso, um dos mitos que mais assombram os empreendedores é o fato de sempre precisar iniciar um negócio próprio a partir de uma ideia genial. E isso não é verdade. Claro que alguns exemplos como Uber e Ifood revolucionaram o setor onde atuam e trouxeram modelos diferentes de fazer negócios, mas o essencial é garantir uma boa qualidade e oferecer a solução certa para o seu público-alvo. Com isso em mente, é muito mais fácil surgir uma ideia que revolucione seu produto ou serviço. 

Empreender é realmente um processo demorado e muitas vezes enfrentamos diversos obstáculos para de fato, obter sucesso. Mas lembre-se, é necessário persistir para se conquistar grandes saltos, e por mais difícil que pareça ser, no final, a sua criatividade, persistência e determinação para continuar empreendendo farão com que você se orgulhe de toda a caminhada que percorreu. Não se apegue aos fatores ruins e muito menos a opinião de quem nunca empreendeu, pesquise e vá em frente. Tenho certeza que conseguirá, pois há um mar de oportunidades para ser explorado mundo afora!


Renato Alves é Diretor de Expansão da Bicalho Consultoria Legal, empresa especializada em migração, internacionalização de negócios e franquias.