“A pipoca” de Rubem Alves

* Por Sérgio Roque

Estava lendo novamente “A pipoca” de Rubem Alves e a metáfora do milho próprio para fazer pipoca e nossas vidas é tão simples quanto impressionante.

É claro que a sabedoria de conhecer a transformação e a poesia nas palavras do excepcional cronista torna a metáfora linda e faz com que o ensinamento penetre em nossas almas tal como a agulha de acupuntura que, dependendo de quem e onde aplicada pode doer muito ou não. Geralmente dói nos pontos relativos aos órgãos que se encontram doentes em nós.

Ele fala do milho mirrado e duro, impróprio para comer, que jogado ao fogo explode em flores brancas, macias e deliciosas tal qual como a gente às vezes precisa passar pelo fogo da vida para se tornar algo diferente, bonito e que melhora a vida dos outros. Quem não leu a crônica procure e leia e quem nunca leu Rubem Alves vá a uma livraria ou sebo compre o que tiver dele e tente recuperar o tempo perdido no fim de ano.

Agora se estiver sentindo que todas as agulhas que lhe espetam doem demais, como se o corpo todo estivesse doente, provavelmente é o coração que deve estar angustiado.

O fogo da vida tem esta peculiaridade de apertar o peito. O importante é você não ficar parado porque tem milho que vai ao fogo e não vira pipoca. Muitos por teimosia e obtusidade, porém a grande maioria, simplesmente paralisada pelo choque.

E o que não tem faltado nos últimos tempos são choques. Pandemia, hospitais, mortes, os negócios minguando, crises econômicas, políticas, mudanças drásticas, fim de relacionamentos, problemas com os filhos e por aí vai longe a lista.

Não pare. Movimento é vida e sem se mexer tudo acaba morrendo. Isso serve para sua carreira, seu negócio e sua vida em qualquer pilar, tempo e lugar.

Se precisar procure ajuda. Terapia, coaching, consultoria, amigos de confiança, espiritualidade, ou o que encontrar, mas procure, faça sua parte e saia da inércia. 

Não podemos e nem devemos tirar as agulhas, que afinal estão ali para nos curar, porém podemos fazer com que a dor diminua.

O milho não tem o poder de se mover, nós temos. Dentro ou fora da panela no fogão.

Mas se estamos dentro e está esquentando é sempre bom fazer algo antes que alguém aumente o fogo.


Sergio Eduardo Roque é coach executivo e de vida com foco em processos de autoconhecimento na SerOQue Desenvolvendo Pessoas. Com formação em engenharia (FAAP) e marketing (ESPM) atua há mais de 25 anos no mercado como executivo e empreendedor.

Espaço Exclusivo para Executivos e Empresários transmitirem conhecimento, experiência sobre carreira no mercado corporativo, transição de carreira de executivo para empreendedor, dicas e mentoria para quem está iniciando como Startups ou precisa se capacitar para tornar-se um Gestor.

Matérias Relacionadas

No comments yet. You should be kind and add one!

Our apologies, you must be logged in to post a comment.