* Por Raquel Luciano

Na última quinta-feira (20), dando continuidade aos eventos digitais Corporate Venture in Action!, Cassio Spina, CEO da Altivia Ventures e Geraldo Santos, CEO do Startupi, bateram um papo com Bruno Stefani, Diretor Global da AB inBev, sobre as mudanças do mercado com o uso da tecnologia em grandes multinacionais.

Cassio Spina, Geraldo Santos e Bruno Stefani, expert convidado.

Para dar início ao debate, Cassio Spina disse que as empresas precisam se adaptar e notar as transformações do mercado, e seu discurso foi apoiado por Geraldo Santos, que lembrou que a pessoa que lidera um ambiente de inovação tem que estar em continuo aprendizado, sempre em busca de novas tecnologias, antes mesmo delas estarem disponíveis no mercado.

E ninguém melhor para falar sobre esse assunto do que Bruno Stefani, que hoje conta com uma equipe de mais de 60 profissionais que levaram os produtos da Ambev para o negócio digital, tanto com a criação do Zé Delivery, como outras ações que transformaram a empresa.

Hoje a Ambev já fechou parceria com mais de 200 startups, e segundo Bruno, toda empresa precisa sofrer um processo de mudança durante o ano, visto que o consumidor também está em constante mudança.

Bruno Stefani, Diretor Global da AB inBev.

“Toda a organização tem que se adaptar todo ano, porque o consumidor muda. Isso não tem ligação com tecnologia, mas com o comportamento do consumidor. Não é uma área de inovação que faz a mudança, mas sim a companhia que enxerga o mercado de outra forma”, disse Bruno Stefani.

Mesmo com a pandemia, Bruno disse que o mercado não sofreu grandes quedas e no caso da Ambev, a empresa manteve os olhos no futuro, focando nas áreas de TEC e E-commerce.

“Aprendemos que temos que ter a cabeça de portfólio, para respeitar o funil de inovação, sabendo onde estão as oportunidades e onde entregar isso. A Ambev é um grande sistema, mas que pode ser um local para plugar empresas”. Por isso, para ele, o essencial neste momento é ouvir o que o cliente está falando, testando os produtos e vendo se ele realmente é o que o mercado precisa.

“Ouça o que o cliente está falando. Antes de colocar uma iniciativa no ar é preciso testar em diferentes locais do Brasil, e pegar tudo que o consumidor vai dizendo, melhorando, até chegar ao produto que realmente será vendido. Com a pandemia a Ambev precisou entender como seria o comportamento do consumidor. E aqui no Brasil sabemos, por exemplo, que muitas pessoas levam em consideração o preço dos produto na hora da compra. Mas, só se chegou a isso por meio de testes”.

No caso do Zé Delivery, Bruno lembra que o cliente quer ser atendido, não importa se ele está em casa, na praia, no restaurante etc.

“No Zé Delivery estamos no celular. E vamos percebendo como companhia que precisamos ser indispensáveis, entregando uma experiência de compra. A cerveja está ligada a um momento de diversão, mas ir até um lugar comprar não gera uma experiência animadora. Com esse pensamento, conseguimos emplacar a plataforma, mostrando que a pessoa quer o produto e ponto”.

Entretanto, para que isso funcione é importante ter liderança e capacitação para que todos os processos possam ser efetuados de forma correta. É nesse sentido que não basta a área de inovação ter essa vontade de inovar. Toda a empresa tem que entender o mercado, mudar seus processos internos para que eles aconteçam e não fiquem apenas nas ideias.

No caso das startups, isso ainda é mais valioso, porque um projeto que começou em um sonho pode tomar proporções maiores, quando se tem uma visão, seguindo exemplos de quem obteve sucesso.

Confira abaixo o Episódio na íntegra:

Ouça também o Podcast:


No próximo programa (10/junho), o bate-papo será com Guilherme Horn Diretor Executivo Banco BV. Clique aqui e garanta sua vaga!