Conhecida como integração entre os meios físico e digital, a Internet das Coisas (IoT) tem ganhado cada vez mais destaque em companhias brasileiras. Seja para a automação de robôs, o desenvolvimento de smart homes e até mesmo a criação de carros autônomos, a IoT é capaz de fazer um cruzamento de dados para tornar as atividades mais rotineiras em algo digitalizado, conveniente e otimizado graças à conexão com múltiplos dispositivos. Para se ter uma ideia, o segmento tem feito tanto sucesso Brasil a fora que, segundo estudos da GlobalData, o mercado de Internet das Coisas pode movimentar mais de US$ 30 bilhões até 2023.

As possibilidades que esta área da tecnologia são tantas, que é natural ficar um pouco perdido sobre como começar a investir e implementar o IoT na sua empresa. A fim de dar uma ajuda, Fábio Freire, CEO e cofundador da FindUP , startup de tecnologia no setor de Field Service, esclarece as principais dúvidas, benefícios e como aproveitar ao máximo a implementação deste recurso no seu modelo de negócios. Confira!

O IoT pode ser um grande aliado na redução de custos da sua empresa

O IoT é uma ferramenta da Indústria 4.0 capaz de integrar o mundo analógico ao digital, como é o caso das smart homes e assistentes virtuais capazes de controlar objetos como ar-condicionado, por exemplo, otimizando tempo, recursos e proporcionar mais comodidade e agilidade nas atividades. Mas, além disso, existem casos e aplicações da Internet das Coisas em que é possível extrair dados para as tomadas de decisão das empresas, como consumo de energia, temperatura e o monitoramento de insumos por meio de sensores, fornecendo informações valiosas para que as companhias possam detectar para onde estão indo seus recursos e como eles estão sendo gastos.

Além disso, a automação de algumas áreas também permite um corte de gastos com mão de obra e a otimização de tempo dos colaboradores, que poderão se dedicar a outras atividades.

A Internet das Coisas potencializa seu modelo de negócio

O mercado está cada dia mais competitivo e novas soluções para uma mesma demanda surgem constantemente. Por isso, estar antenado às tendências e entender como aplicá-las de forma diferenciada na sua empresa pode ser o grande diferencial para se destacar ante a concorrência. Com o IoT, por exemplo, as companhias conseguem automatizar etapas de trabalho, tornando a dinâmica mais fluida e rápida.

Outra vantagem da Internet das Coisas é que, justamente por trabalhar com dados, é possível utilizá-los a seu favor para a tomada de decisões, otimizar processos logísticos e garantir um serviço de qualidade e mais ágil.

É preciso proteger seus dados

Como tudo dentro do ambiente virtual, as ferramentas de IoT também são suscetíveis a invasões e exposição de dados sigilosos e sensíveis. Por isso, é de suma importância atrelar o seu uso ao de outras ferramentas para mitigar os riscos, como é o caso das Inteligências Artificiais para análises preditivas. Aqui, a predição faz um estudo do padrão de consumo de dados, informações e comportamentos dos dispositivos, detectando pontos fracos e auxiliando as empresas a tomarem medidas preventivas e se anteciparem para evitar qualquer tipo de dano.

A Internet das Coisas pode ser aplicada de diversas maneiras no seu modelo de negócios

Como dito antes, o IoT é responsável por fazer com que o universo físico se alie ao tecnológico, a fim de trazer mais conectividade, assertividade e comodidade à população. E, no mundo dos negócios, isso não poderia ser diferente, independente do segmento e da área de atuação de uma empresa. Aqui na FindUP, por exemplo, nós auxiliamos clientes do setor varejista a darem um passo a mais nas vendas Omnichannel, com a instalação de tablets em lojas físicas para que os clientes possam escolher seus produtos e também realizar pagamentos, bem como a instalação de redes de Wi-Fi dentro das lojas para disponibilizar aos consumidores.

Além disso, também ajudamos companhias do segmento a terem um melhor controle de fluxo dos clientes em suas lojas, com a instalação de dispositivos que permitem determinar quantas pessoas entraram e saíram de seus estabelecimentos e quais os caminhos percorridos.