* Por Mônica Hauck

Quando profissionais de uma empresa não apresentam resultados esperados, a atitude mais comum é investigar a causa e o que fazer para melhorar a eficiência da equipe. Porém, nem sempre o problema está nos colaboradores que compõe a corporação e sim no planejamento interno.

Para driblar esses gargalos, os profissionais de RH têm mostrado que seu papel vai além da contratação e gestão de pessoas.  Ao implementar os processos organizacionais, o setor pode melhorar a produtividade dos colaboradores e desempenho dos líderes, aumentar o nível de satisfação interna e participar de outras atividades que gerem ganhos para uma corporação tornando-a um local melhor e mais organizado. 

Com isso, a companhia tende a crescer ainda mais. Para se ter uma ideia, de acordo com uma pesquisa da Great Place To Work (GPTW), consultoria global que apoia organizações a obterem melhores resultados, ter um bom ambiente de trabalho pode aumentar os lucros em até 7%. Além disso, atrai melhores talentos, número maior de clientes, parceiros e fornecedores importantes e estratégicos. 

Por esse motivo, é importante desenvolver um planejamento de processos organizacionais efetivo, mas, antes de tudo é necessário entender quais são as características e objetivos da empresa. Com a otimização dos processos organizacionais, os profissionais da área de RH conseguem ter uma percepção mais rápida e adequada de possíveis problemas forma preventiva. Ou seja, todo esse conhecimento também permite que caso algo aconteça, o responsável tem a capacidade de atuar em uma solução com mais agilidade e precisão.

Diante disso, é possível concluir que melhorar esses processos com a ajuda de um profissional de RH é uma atitude benéfica para a organização. Ela garante melhorias na eficiência dos processos e, com isso, ganhos que vão desde a economia de tempo e recursos, até aumento na produtividade e lucros. Então, se a sua empresa ainda não adota medidas para essa melhoria, pense nisso!


* Mônica Hauck é Fundadora da Sólides. Graduada e pós-graduada pela UFMG e FGV, com MBA em Gestão Empresarial e especialista em Inovação e Empreendedorismo pela Universidade de Stanford. A empreendedora desenvolveu a ferramenta Profiler e, como referência em Gestão Comportamental, atualmente ministra palestras e cursos por todo Brasil. Também é vencedora do Prêmio Mulheres Notáveis, na categoria Tecnologia.