* Por Wanderson Leite

Em toda nossa história, nunca vimos uma perspectiva tão positiva para o investimento em tecnologias de ponta em diversos setores como agora. Dentre tantas possibilidades de investimento, um estudo feito pela Deloitte apontou a tendência para este ano: 95% das empresas disseram que irão focar seus investimentos nas áreas de soluções (sistemas, ferramentas e softwares de gestão) e de gestão de dados (Big Data, Analytics, Inteligência Artificial).

Esses dados refletem a nova era de transformação digital que estamos vivendo, onde o uso de sistemas eficientes e inteligentes se torna um grande aliado na prospecção de vendas. Essa foi a principal estratégia adotada pela construção civil, que ao ver os desafios impostos pela pandemia e a necessidade de adaptação frente ao isolamento social, apostou nas inovações tecnológicas para chegar aos seus clientes e lidar com a demanda exigida. Inclusive, com resultados bastante otimistas até o momento.

De todas as inovações do mercado, o Big Data se tornou uma das melhores formas de impulsionar a digitalização nas empresas. Essa tecnologia é capaz de recolher e analisar uma grande quantidade de dados em um único sistema de forma rápida e precisa. E, na construção civil, funciona como uma ponte entre quem quer vender e quem deseja comprar produtos e serviços para construir ou reformar, facilitando o entendimento das necessidades e demandas dos clientes.

Além disso, seu uso planejado pode permitir um grande crescimento do negócio, principalmente pelo destaque que proporciona em um ambiente marcado pela reatividade em vez da proatividade. Um bom exemplo é a Prospecta Obras, uma plataforma que promove a interação entre empresas e clientes. Ao enxergar a necessidade de estreitar o relacionamento com os clientes sem esperar que eles batessem às suas portas, a startup usou o Big Data como base para desenvolver um software de gestão e geolocalização capaz de mapear todas as obras em andamento em uma determinada região.

Na prática, as vantagens da implementação dessa ferramenta são enormes. Com ela, os empreendedores conseguem saber exatamente onde estão acontecendo obras ou reformas, ou seja, onde seus potenciais clientes estão. Assim, as empresas conseguem mapear as melhores oportunidades para seus negócios e ter uma tomada de decisões muito mais assertiva no alcance dos objetivos desejados.

Em pouco tempo, diversos estabelecimentos conseguiram aumentar suas vendas em até 300%, um resultado extremamente valioso não somente para as empresas, mas para todo o país. Afinal, a construção civil é responsável por 7% do PIB nacional – uma grande parcela de nossa economia e que deve ser muito bem explorada, especialmente neste momento de crise financeira causada pela pandemia.

Se adaptar a essa nova era de transformação digital não é uma opção – mas sim uma necessidade para garantir a sobrevivência do seu negócio. Ter informações é sinônimo de poder e influência, e na construção civil, uma ferramenta extremamente valiosa na prospecção de clientes e geração de resultados.

* Wanderson Leite é CEO da Prospecta Obras. Formado em administração de empresas pelo Mackenzie, ele também é fundador das empresas ProAtiva, app de treinamentos corporativos digitais, e ASAS VR, startup que leva realidade virtual para as empresas.