Como a tecnologia ajuda a impulsionar a transformação social, a Samsung e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) dão as boas-vindas a um brasileiro para um esforço conjunto para elevar a criatividade e as inovações dos jovens em busca de um futuro melhor.

Daniel Calarco, de 23 anos, que cresceu na Favela do Vintém e Vila Aliança, em Bangu, no Rio de Janeiro, é o primeiro representante do país no Generation17, iniciativa global de Samsung e PNUD para acelerar o progresso e alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável em 2030.

“Escolhemos jovens inspiradores, que já estão aproveitando todo o potencial que a tecnologia e a inovação oferecem, para a conscientização sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. É uma iniciativa que impulsiona um diálogo importante com uma geração que cresceu em um mundo digital, sem fronteiras, e está na linha de frente das questões mais urgentes de nossas vidas. É fundamental ter um brasileiro como o Daniel Calarco no grupo, para ajudar a moldar o futuro da América Latina”, afirma Mario Laffitte, vice-presidente de relações institucionais da Samsung América Latina.

O Generation17 convidou representantes de Argentina, Bangladesh, Mali e Zimbábue em 2020. Anunciado em fevereiro deste ano, Daniel Calarco se junta ao segundo grupo da iniciativa ao lado de jovens de Coréia do Sul, Líbano e Ucrânia. A missão do grupo é inspirar e motivar sua geração a se envolver com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e realizar ações individuais que resultem em mudanças impactantes. Juntos, esses líderes aumentarão a conscientização sobre o aplicativo Samsung Global Goals como um primeiro passo para unir seus esforços.

O aplicativo Samsung Global Goals já está instalado em mais de 100 milhões de smartphones Galaxy em todo o mundo e arrecadou mais de US$ 1,5 milhão em doações para o PNUD. No aplicativo, os usuários podem aprender sobre os desafios e a interconectividade entre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, encontrar recursos sobre as iniciativas globais do PNUD e transformar seu novo conhecimento em ações com soluções fáceis e simples.

Daniel Calarco já é um dos protagonistas de sua geração na busca por mudança social. Aos 18 anos, fundou o Observatório Internacional da Juventude, que conecta jovens líderes ao redor do mundo por meio de treinamento em áreas como empreendedorismo, paz e justiça e políticas públicas. Ao longo de seu trabalho, Daniel visa contribuir positivamente para o desenvolvimento e inovação globais, ao mesmo tempo em que defende os direitos humanos e a igualdade para as comunidades.

“O convite para ingressar no Generation17 mostra que estou no caminho certo. Nunca foi tão importante catalisar as vozes dos jovens e ajudar a transformar nossas visões em realidades. Nossa geração tem a importante responsabilidade e a oportunidade de aproveitar a tecnologia como aliada para cumprir a agenda 2030, mas não podemos fazer isso sozinhos. Para desafiar a realidade atual e garantir que as pessoas não sejam deixadas para trás, precisamos fazer parceria com instituições fortes como a Samsung e o PNUD”, acrescentou Daniel Calarco.

Para promover suas agendas e inspirar um público global com suas histórias, os Jovens Líderes do Generation17 recebem mentorias, oportunidades de networking e suporte tecnológico. Isso inclui equipar os jovens líderes com a tecnologia Samsung Galaxy para alavancar seus objetivos e ampliar o alcance de suas mensagens em todo o mundo. Além disso, eles trabalham com o Programa Global da Juventude do PNUD e a Rede de Política Global para obter uma compreensão mais profunda de suas questões regionais e aprender como fazer parceria com empresas e governos.

O segundo grupo de Jovens Líderes do Generation17: Daniel Calarco (Brasil), Nadine Khaouli (Líbano), Yejin Choi (Coreia do Sul) e Yurii Romashko (Ucrânia).

Além de Daniel Calarco, o segundo grupo de Jovens Líderes do Generation17 inclui outros três agentes de mudança: a libanesa Nadine Khaouli, 25, que lidera os esforços de socorro local diante da explosão do Porto de Beirute em 2020 e à pandemia decovid-19 por meio de sua organização Kafe be Kafak; o terapeuta cognitivo sul-coreano Yejin Choi, 26, que fundou o DoBrain, um aplicativo que visa melhorar as oportunidades de educação infantil para crianças com deficiência; e o ucraniano Yurii Romashko, 28, que fundou o grupo de pesquisa Institute of Analysis and Advocacy (Instituto de Análise e Advocacia, em português) para capacitar sua comunidade a tomar decisões mais informadas e baseadas em dados em suas vidas diárias.