* Por Thiago Lima

Para uma grande maioria, empreender é ganhar fama, dinheiro e reconhecimento, porém nem sempre é assim. Acompanho muitas pessoas que acreditam que o mundo das startups funciona da seguinte maneira: um certo dia, você acorda todo animado, porque teve uma ideia genial que ainda não existe, e que vale milhões, o tempo passa e você comenta com outras pessoas, então chega um investidor e diz: “quero investir 1 milhão na sua ideia, quando podemos começar?”.

No outro dia, você começa a contratar diversos funcionários, e em paralelo, constrói um grande escritório, todo colorido, com mesas de ping-pong, bilhar e tudo mais. Porém, a realidade do mundo das startups é muito diferente do que as pessoas imaginam. Nesse artigo, o objetivo não é deprimir ou desencorajar futuros empreendedores, e sim, apresentar verdades que não são ditas sobre esse mundo tão distorcido e apresentado para muitos como um parque de diversões.

Empreender não é pra qualquer um

Não é correto dizer que empreender é uma tarefa fácil. Atualmente, o empreendedorismo vem ganhando espaço como uma ideia de que todos podem entrar no ramo, basta ter muita vontade, acreditar no seu sonho e tudo dará certo, mas posso garantir que não é assim que acontece. São poucas pessoas que estão preparadas e dispostas a viver nas condições de um empreendedor no estágio inicial de uma startup.

Você vai precisar de saúde financeira e mental

Não é do dia para noite que todo o seu tempo e dinheiro retornará. Para gerar um negócio, é preciso estar muito bem psicologicamente, pois as contas ficarão cada vez mais altas e desistir será uma opção com o passar do tempo. Existe uma grande possibilidade de que no primeiro ano de trabalho o retorno seja zero, o que te deixará sem salário e sem distribuição de lucros. Caso contrário, você estará correndo risco de não conseguir viabilizar a empresa financeiramente.

Além disso, é necessário planejar todos os passos da sua trajetória, para que não haja nenhum impacto negativo em relação às pessoas envolvidas, como sua família e funcionários. Na prática, é provável que seja necessário reduzir sua qualidade de vida, vivendo com o menor custo possível para a sobrevivência do seu sonho.

Você não terá tempo para sua família e amigos

No início de uma startup, perdura uma grande possibilidade de trabalhar por mais de 12 horas por dia, o que resultará em um curto tempo para estar com sua família e amigos. Talvez, muitos acharão que você está louco e obsessivo por algo que ainda nem existe. Certamente muitas pessoas vão se afastar, principalmente por não acreditarem ou apoiarem o seu sonho.

Você não ficará milionário da noite para o dia – às vezes, nem ficará

A onda das grandes startups bem-sucedidas trouxe esperança para muitos brasileiros equivocados sobre ficar milionário rápido. Encontra-se uma grande diferença de cultura em comparação ao Vale do Silício nesse sentido, pois os empreendedores americanos entendem que para realizar algo com sucesso, há um grande processo de consistência e construção do negócio.

Com a ilusão criada pelos brasileiros de que é apenas necessário ter uma ideia e conhecer um investidor com muito dinheiro e como um passe de mágica você acorda milionário, a notícia acaba sendo triste. Todos os cases de startups bem-sucedidas, seja no Brasil ou em outro país, foram realizados em um processo de anos, fazendo as coisas certas, no tempo certo, com muitos erros e aprendizados.

Empreendedor não tem nada a ver com ser famoso

Ser empreendedor não tem relação necessária com a fama. Há uma quantidade enorme de proprietários bem-sucedidos e que são desconhecidos pela mídia. Quem normalmente está presente na mídia é porque quer apoiar e incrementar a rede de empreendedores.

De acordo com uma pesquisa feita pelo IBGE em 2018, de cada dez empresas no país, seis não sobrevivem após cinco anos de atividade, o que indica que atualmente apenas 40% dos empreendimentos conseguem ultrapassar cinco anos de existência.

Criar um negócio é impactar os consumidores positivamente com um sonho. Isso tem um preço e exige suor, lágrimas, desespero, confusão, tristeza, cansaço, responsabilidade e muita coisa que te fará repensar mil vezes se é isso que você quer da sua vida. Se você deseja um dia empreender, não acredite que é divertido e que qualquer um pode fazer isso, pois entrar nesse ramo é algo extremamente sério e não tem nada a ver com diversão.

* Thiago Lima é CEO e fundador da LinkApi, plataforma que possibilita empresas desenvolverem, monitorarem e distribuírem integrações entre diferentes sistemas.