* Por Renato Alves

Com a taxa de desemprego atingindo 13,13 milhões de pessoas no trimestre encerrado em julho, conforme apontam dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é natural que os profissionais autônomos estejam buscando formas de arcarem com seus custos e sobreviverem à crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. Apesar de startups e franquias virarem alternativas como fonte de renda, empreendedores estão se perguntando qual é o melhor caminho para começar a investir.

É difícil responder essa questão, mas acredito que conhecer a si mesmo é a melhor forma de matar a charada. Entender qual é o seu perfil de negócio, quais características de um trabalho mais combinam com você, se você é uma pessoa mais criativa, operacional, que gosta de regras e de algo previamente formatado ou se prefere ter mais liberdade e se dedicar em algo que seja mais a sua cara, pode te ajudar a dar os primeiros passos nessa decisão. Ter em mente quantas horas por dia você quer trabalhar e qual é o seu capital disponível para investimento, entre outros inúmeros tópicos, é bem importante também. 

O mercado de franquias é um dos modelos mais seguros de investimento, principalmente para quem não quer lidar com as dificuldades de uma empresa própria e em fase inicial. Além de passar a atuar em uma marca já estabelecida e reconhecida no mercado, o empresário recebe a receita do sucesso pronta, com processos definidos e validados.

No entanto, com o futuro incerto devido à covid-19, é preciso ter cautela! A franquia home office, por exemplo, que deve ser impulsionada daqui para frente, apesar de proporcionar uma renda atrativa já nos primeiros meses de operação, não serve para todas as pessoas do mundo.

Em paralelo, nove em cada dez startups brasileiras não sobrevivem, segundo informações da consultoria e auditoria PwC Brasil. Apresentar uma ideia, os seus diferenciais e ter a aprovação dos consumidores é uma etapa trabalhosa. Muitas vezes os empresários apostam em um negócio que não atende a uma demanda da sociedade, não têm dinheiro para seguir com a operação ou mais: vivenciam relações conflituosas com o time e os sócios, levando a empresa ao fracasso e quase sempre à falência. Ao mesmo tempo, quando a ideia dá certo, a firma apresenta um ritmo de crescimento super acelerado. O jogo é de tentativa e erro.

Franquias e startups têm particularidades extremamente específicas, mas não deixe o medo do desconhecido te afastar de grandes oportunidades. Procure por profissionais capacitados para te orientar e te ajudar a identificar seus ramos de interesse, planejar o investimento necessário e comparar as companhias do segmento escolhido.

Construir uma história de conquista sem desgastes emocionais e financeiros, leva tempo. Coloque a cabeça no lugar e use a quarentena para fazer uma espécie de autoconhecimento. As respostas de qual caminho tomar estão dentro de você, mas estou por aqui caso queira conversar!


Renato Alves é Diretor de expansão da Bicalho Consultoria Legal, empresa especializa em migração, internacionalização de negócios e franquias.