A Fazenda Futuro, foodtech brasileira que desenvolve carne à base de plantas com o mesmo gosto, textura e suculência da carne animal, anunciou hoje o Frango Futuro. O produto é feito com uma tecnologia inédita criada para simular a textura da ave.

A True Texture Technology permite recriar a mesma textura fibrosa do frango de origem animal. Assim, o lançamento, que será vendido em pedaços semelhantes à carne de aves, apresenta fibras aparentes garantindo a textura e maciez buscada tanto na mordida quanto na hora de cozinhar a proteína.

Para o desenvolvimento do Frango Futuro, a empresa utilizou também extratos naturais para garantir um sabor neutro, dando versatilidade as criações de quem cozinha. O preparo do produto segue a mesma lógica das proteínas animais, ao ir para a grelha adquire uma cor dourada e ao ser cozido, pode ser desfiado e temperado para servir em recheios das mais diversas receitas.

Saudabilidade

Em sua composição são utilizadas as proteínas de ervilha não transgênica e soja não transgênica e em termos nutricionais ele possui 18g de proteína por porção, 0% de colesterol e também 0% de gordura saturadas e trans.

Frango Futuro

Usando uma nova tecnologia, True Texture Technology, inovação permitiu criar pedaços reais de frango com fibras aparentes.

“Nosso objetivo é simples desde o primeiro dia que fundamos a Fazenda Futuro: mudar a maneira como o mundo come carne e continuar aumentando o nível tecnológico dos nossos produtos, criando a categoria de plant-based da maneira correta e com os parceiros certos para deixar os frigoríficos, que não se encaixam mais neste novo mundo, cada vez mais obsoletos” explica Marcos Leta, fundador da Fazenda Futuro.

Sustentabilidade

Seguindo seu propósito de impactar minimamente o meio ambiente, o Futuro Frango é o primeiro produto da marca a ser comercializado em uma embalagem 100% sustentável e plant based, com cana-de-açúcar em sua composição, gerando menos gastos de CO2 ao planeta. Ela recebeu o selo I’m green, que identifica os produtos que utilizam o Plástico Verde em sua composição, além de fomentar negócios que contribuem com ações a favor da reciclagem, do pós-consumo e do meio ambiente.

A nova embalagem substituirá, a longo prazo, a antiga que já possuía certificado da EuReciclo, o que garante a compensação de 100% das embalagens produzidas pela Fazenda Futuro através de logística reversa.

Recentemente, a foodtech recebeu também um investimento de R$ 115 milhões para acelerar o desenvolvimento e inovação em novos produtos e expandir as exportações. O aporte foi liderado pelo BTG Pactual, Turim MFO, ENFINI Investments (Grupo PWR Capital) e os investidores da primeira rodada monashees e Go4it Capital.

Com o lançamento, a startup entra no maior mercado de proteínas do Brasil, o de aves. No País, a produção de frango alcançou em 2019 cerca de 13 milhões de toneladas, com um consumo per capita em torno de 42 quilos por habitante, segundo Associação Brasileira de proteína Animal.