O CEO da Uber disse ontem, em comunicado no blog oficial da empresa, que a companhia está se comprometendo a se tornar uma plataforma de emissão totalmente zero até 2040. Informou ainda que está definindo uma meta de ter 100% das viagens em veículos elétricos (VEs) nas cidades dos Estados Unidos, Canadá e Europa até 2030.

“Acreditamos que podemos atingir essa meta para 2030 em qualquer cidade importante onde pode trabalhar com as partes interessadas locais para implementar políticas que garantam uma transição justa para VEs para os motoristas”, disse Dara Khosrowshahi.

A empresa também disse que vai se comprometer em destinar R$ 800 milhões em recursos para ajudar centenas de motoristas na transição para carros movidos a bateria, incluindo descontos para veículos comprados ou alugados de montadoras parceiras até 2025.

Foi anunciado também o lançamento do ‘Uber Green’ em mais de 15 cidades dos Estados Unidos e Canadá. Por apenas US$ 1 extra, os motoristas agora podem tocar em um botão para solicitar uma viagem em um veículo elétrico elétrico ou híbrido. Tais viagens produzem até 44% menos emissões de carbono do que dirigir um carro movido a gasolina sozinho. Até o final do ano, o Uber Green estará disponível em mais de 65 cidades em todo o mundo.

O CEO destacou que a empresa está buscando construir a plataforma mais eficiente, descarbonizada e multimodal do mundo para mobilidade sob demanda. Acrescentou que, embora não sejam os pioneiros a definir metas ambiciosas na transição para EVs, pretendem ser os primeiros a fazer isso acontecer.

“Competir em sustentabilidade é uma vitória para o mundo, e hoje desafiamos outras plataformas de mobilidade à transparência, responsabilidade e mais ação. Este é um começo e esperamos ser julgados por nossas ações. O sucesso final de nosso negócio estará em nossa capacidade de fazer a transição de nossa plataforma para energia limpa em parceria com impulsionadores, inovadores do setor e governos. É a coisa certa a fazer por nossos clientes, nossas cidades, nossos acionistas e o planeta que todos compartilhamos”, finalizou.