Se fôssemos resumir em algumas palavras o legado que a pandemia do novo coronavírus deixará para as empresas mundo afora, certamente uma delas será: imprevisibilidade. Desde o período em que as organizações começaram a sentir os impactos da crise, era impossível saber até quando isso de fato permaneceria e se as ações para mitigar os prejuízos realmente seriam eficazes.

Na contramão deste processo, estavam as possibilidades que este cenário também traria aos negócios, como é o caso da iugu, fintech brasileira de meios de pagamentos e plataforma de automação financeira para empresas. Na semana passada, a companhia anunciou a captação de R$ 120 milhões por meio de uma rodada de investimentos liderada pelo Merchant Banking do Goldman Sachs, braço de investimentos proprietários do banco. 

O Goldman é conhecido no mercado: em 2018, junto a uma empresa norte-americana de investimentos, investiu US$ 360 milhões de dólares na portuguesa OutSystems, plataforma que permite que usuários criem aplicativos com a mínima necessidade de programação. No ano passado, também aportou na Melhortaxa, especializada em crédito imobiliário do Brasil.

A rodada da iugu, que estava prevista para ser inicialmente menor, acabou sendo ampliada por conta do desempenho da empresa e dos planos para acelerar o seu crescimento. “Os recursos desse aporte permitirão que a iugu amplie a oferta de produtos, acelere a contratação de talentos e fortaleça a sua estrutura de capital”, destacou o fundador da empresa, Patrick Negri. 

Patrick Negri, fundador da iugu.

Ele ressaltou a importância de ter o Goldman Sachs como investidor, o que vai ajudar a empresa a conseguir acelerar seu próximo ciclo de crescimento. “O time do Goldman tem nos apoiado em todas as iniciativas relevantes, de atração de talentos até conexões com outras companhias do seu portfólio pelo mundo. São investidores que realmente dedicam tempo de qualidade no processo de criação de valor em conjunto conosco”.

Certificação do Banco Central

No final de agosto, a empresa recebeu uma licença do Banco Central autorizando-a a funcionar como uma Instituição de Pagamentos, uma das poucas no país a receberem este aval. 

Com a novidade, a iugu reforça sua credibilidade junto aos seus clientes, tendo maior flexibilidade para entregar novos produtos e cada vez mais inovadores. “Com a certificação, o portfólio de soluções financeiras disponíveis aos clientes da iugu passa a contar com novas funcionalidades, como o recebimento de dinheiro via TED, pagamento de boletos e tributos através da própria plataforma, além de uma opção de cartão pré-pago. Nesse sentido, a nossa oferta de produtos e serviços será ainda mais ampla, cobrindo todas as necessidades dos nossos clientes, tanto no fluxo de contas a receber, quanto de contas a pagar”. 

Atualmente, a iugu trabalha com cerca de 50 mil clientes ativos em diferentes setores como e-commerces, desenvolvedores de software, escolas, dentre outros. “Estamos dobrando o nosso volume financeiro processado a cada ano. Com uma plataforma fácil de utilizar e a um custo acessível, a iugu desenvolveu soluções que atendem desde pequenas empresas, até grandes nomes de mercado”. Dentre elas, estão a Contabilizei, DogHero, Conta Azul, GetNinjas e Suno Research.

Agora como instituição financeira, a empresa também passará a oferecer diversos serviços em relação ao envio de dinheiro, bem como vai aumentar a carteira de produtos de recebimento. “Em breve, funções como pagamentos de tributos, boletos de fornecedores e gestão de folha de pagamento poderão ser acessados em uma única conta, que concentrará toda a inteligência financeira do negócio em um dashboard de uso simples e intuitivo”, disse.

Por fim, destacou que as soluções da iugu são flexíveis e facilmente adaptáveis a diferentes modelos de negócios e empresas, independentemente de tamanho ou nível de maturidade tecnológica delas. “A premissa inicial da iugu é ter sempre produtos adequados à expectativa do cliente atrelados a um atendimento e suporte de primeira linha”, finalizou.