A gestora de venture capital DOMO Invest, através do fundo DOMO Enterprise, focado em empresas B2B, acaba de anunciar um investimento de R$ 5 milhões na FindUP, startup que oferece serviços de técnicos de informática por meio de um aplicativo. O aporte será utilizado pela startup para o crescimento da máquina de vendas e outras áreas.

“A DOMO Invest é uma das principais gestoras de VC no Brasil e também sempre esteve em nosso radar. Isso porquê seus founders possuem ampla experiência em mercados variados e competências complementares para nos ajudar na gestão, além de atuarem de maneira exemplar nesse ecossistema, respeitando seus players, terem redes de networking muito fortes e trabalharem com um modelo de gestão soft com foco no apoio ao nosso crescimento”, destaca o CEO da FindUP, Fábio Freire.

Além de Fábio, também são sócios-fundadores da startup Tiago Lira, head comercial, e Gustavo Ferreira, head de Operações. Em 2016, um ano depois de sua fundação, a FindUP recebeu seu primeiro investimento, ainda como anjo, de R$ 600 mil. Em termos de crescimento para este ano, o mesmo deve ocorrer na ordem de 40% na comparação com 2019 e a pandemia da covid-19 acelerou esse processo.

O conceito da FindUP seria uma espécie de Loggi ou Uber de técnicos de TI, que passam por um processo de seleção criterioso e recebem treinamentos com frequência, para garantir a qualidade de atendimento aos serviços prestados nas diversas filiais de empresas, sejam elas filais, rede de lojas, agencias bancárias, home office e escritórios.

Como principais clientes, estão as organizações que possuem uma estrutura descentralizada, como Riachuelo, Cinemark, Santander, Banco BMG, Pernambucanas, Linx Azul e Natura. No total, são nove mil profissionais cadastrados, que, quando acionados, chegam até o local em até três horas.

Em termos de presença, a FindUP já se localiza em todas as principais cidades do Brasil, de modo que seus clientes possam, com a utilização de seus serviços, otimizar os custos e aumentar a produtividade de seus colaboradores para seguir evoluindo. Seus escritórios se situam em Recife, no parque tecnológico do Porto Digital, e São Paulo, no CUBO e Habitat.

“Nossos grandes desafios consistem em fortalecer a marca e aumentar a nossa participação de mercado. Por conta da covid-19 passamos a atender clientes finais diretamente. Os colaboradores das empresas nos chamam pelo aplicativo e depois têm esse custo reembolsado pela pela organização. Redobramos então os cuidados com a higiene nesse período e todos os nossos técnicos são avaliados pelos usuários, de forma que os que sejam mais bem avaliados tenham preferência nos chamados de atendimento”, complementa Freire.

Uma vez que o técnico é chamado pelo app, o cliente tem acesso à sua trajetória, avaliação e ao seu contato. Todos os tipos de devices com IP são contemplados pelos serviços da FindUP, a exemplo de computadores, wifi, rede e impressoras. Com o objetivo de capacitar os seus técnicos, a startup criou a FundUP Academy, uma plataforma de vídeos de treinamento.

Trata-se de um negócio inovador, a partir de um software de gerenciamento operacional de campo e o modelo de economia compartilhada, permitindo assim a entrega de agilidade, capilaridade e maior controle dos atendimentos. Esses aspectos eram o que o setor estava precisando, pois diversos paradigmas comuns ao mercado de field service foram quebrados com a solução. 

Além do fundo DOMO Enterprise, voltado às startups com soluções B2B como é o caso da FindUP, a DOMO Invest possui o fundo DOMO Ventures, no qual investe em negócios B2C ou B2B2C, e o Fundo Anjo em parceria com o BNDES. Em todos os casos, os aportes são feitos em startups de base tecnológica, tendo em vista o potencial de escalabilidade de cada uma, sempre levando em consideração o alinhamento de longo prazo entre os sócios.

“O compromisso com a qualidade de entrega da FindUP, a partir do cumprimento de todas as regras de segurança seguidas pelos seus técnicos nos atendimentos, chamou muito a nossa atenção. E sabemos bem que, para os serviços de TI, sempre haverá demanda. Afinal, a cada dia o mundo fica mais tecnológico e, frente a esse novo normal, as distâncias tendem a aumentar ainda mais”, acrescenta um dos sócios-fundadores da DOMO Invest, Marcello Gonçalves.