Baterias de íon de lítio são essenciais para veículos elétricos, mas têm desvantagens: são difíceis de produzir e degradam com o tempo. 

Uma startup sediada em San Leandro, Califórnia, disse hoje que captou US$ 4 milhões em financiamento e está trabalhando com a gigante química alemã Basf em uma nova tecnologia para resolver esses problemas, visando um dia reduzir o custo das baterias enquanto aumenta suas capacidades e prolonga a vida útil.

A Coreshell Technologies criou um revestimento que vai diretamente sobre as camadas de materiais que separam os eletrodos das baterias de íon de lítio.

Para produzir energia, os íons de lítio se movem entre os eletrodos dentro da bateria. Mas, à medida que passam pelas camadas, parte do lítio fica preso, esgotando-o e dificultando o movimento dos íons restantes.

A Coreshell disse que seu revestimento permite que o lítio transite mais facilmente sem ficar retido, o que acelera o processo de produção da bateria, permite que menos lítio seja usado e aumenta a vida útil da bateria. Mas o principal avanço, disseram os fundadores da empresa, foi descobrir como aplicar o revestimento na forma líquida, uma vez que as camadas de separação dos eletrodos são fabricadas em máquinas que se assemelham a uma impressora de jornal.

“Isso tem que se encaixar nesse sistema de processamento” para ser economicamente viável, disse Jonathan Tan, presidente-executivo e cofundador da empresa. “E isso não é algo que alguém foi capaz de fazer antes com esses revestimentos.”

A Coreshell está trabalhando com a Basf para testar seus revestimentos com materiais da empresa. Um porta-voz da empresa alemã disse que os revestimentos da Coreshell demonstraram melhorias de desempenho em relação aos materiais normalmente utilizados.

A startup disse que o investimento de US$ 4 milhões foi levantado em uma rodada de financiamento liderada pela Entrada Ventures. Outros investidores incluem Baruch Future Ventures, Tsingyuan Ventures, Comissão de Energia da Califórnia, Sema Translink, Berkeley Skydeck e Alchemist Accelerator, disse a Coreshell.

Fonte: Agência Reuters