Ir para o conteudo

Lean Startup: o que é e como utilizar

* Por Caio Nogueira

O Lean Startup é um método orientado ao proprietário para criar projetos de desenvolvimento de negócios interativos, nos quais a medida do progresso vai adaptando o modelo de negócios às realidades do mercado. Seu objetivo mais importante é encontrar o caminho mais curto para alcançar uma determinada visão.

Os estágios específicos dessa atividade serão diferentes em empresas individuais, mas os estágios básicos são os mesmos e consistem em dividir sistematicamente o plano em pequenos componentes, conduzindo experimentos.

Este método é destinado ao uso em situações em que há extrema incerteza de que é impossível prever exatamente o que pode acontecer. O método também é criado para eliminar o desperdício nas empresas.

História

O principal mentor e autor das diretrizes de Lean Startup é Steve Blank, nascido em 1953. Ele desenvolveu uma metodologia de desenvolvimento de clientes que deu orientação e desenvolvimento à metodologia Lean. Ele passou mais de trinta anos na indústria de alta tecnologia e, assim, ganhou enorme colaborou e criou empresas startups conhecidas.

A metodologia que ele criou foi a base para o surgimento do Lean Startup, popularizado por Eric Ries, um dos melhores alunos de Blank.

Pela primeira vez, o movimento Lean Startup foi ouvido em 2011 no Vale do Silício. Enquanto desenvolvia o produto no IMVU, Ries disse que era possível reduzir o ciclo de desenvolvimento do produto. Esses e outros problemas encontrados na criação deste produto o levaram a desenvolver a metodologia Lean.

Quando o IMVU posteriormente se tornou muito bem- sucedido, muitos empreendedores começaram a pedir conselhos a Ries. A falta de compreensão dos gerentes sobre esse método levou-o a dar palestras em conferências. Depois de algum tempo, a metodologia começou a se espalhar pelo mundo, reunindo ótimos comentários e novos apoiadores.

Etapas na administração de uma Lean Startup

Uma startup cujos fundadores dedicam muito tempo para refinar o produto antes de lançá-lo no mercado tem, de fato, muito menos chance de sucesso (e muito maior em caso de falência) do que aquela cujos fundadores decidem oferecer aos clientes um produto ainda não totalmente refinado (para verificar a resposta e refinar no ângulo certo). 

Essa experiência foi confirmada muitas vezes por pesquisas estatísticas e inúmeros estudos de caso detalhados. É importante ter isso em mente ao criar seu próprio negócio com esse perfil. As etapas na administração de uma Lean Startup são:

– Adoção de hipóteses sobre a reação a um novo produto e a estratégia de sua promoção;

– Criação da primeira versão do produto e experimento, ou seja, verificação de hipóteses aceitas;

– Analisar a resposta do produto, coletar dados através de pesquisas com consumidores e pesquisas de mercado;

– Tirar conclusões, aprender e modificar o produto.

Estágio 1 : adoção de hipóteses

O primeiro estágio é formular um conjunto de hipóteses ou pensar sobre o que queremos alcançar, quais efeitos. No plano de negócios, essas são as premissas da estratégia que podem levar à realização da visão. No entanto, no método Lean, eles devem ser o mais claros possível, para que você possa verificar o quanto antes quais delas são verdadeiras e quais não são.

Por exemplo, ao montar e-commerce, a hipótese do valor verifica se um produto é capaz de agradar os usuários enquanto a hipótese do crescimento verifica como os novos clientes aprenderão sobre um produto ou serviço. Ao fazer suposições, você precisa estar ciente de que nem sempre estará certo sobre elas e, como Ries escreve, isso é normal, porque o objetivo é o aprendizado.

Estágio 2: criação da primeira versão do produto e experimento

O próximo passo é realizar o experimento. É a criação de uma versão inicial de um novo produto, mesmo imperfeito, porque, em última análise, o objetivo é criar o produto mais satisfatório, utilizando menos recursos de dinheiro, tempo e esforço. Para a maioria dos empreendedores, é difícil e desconfortável mostrar aos clientes produtos imperfeitos e inacabados, especialmente quando eles ficam encantados com sua visão.

Existem muitos tipos e variedades de produtos minimamente satisfatórios. A escolha depende do que queremos aprender. Cada empresa deve desenvolver suas próprias regras, técnicas e um sistema para criar esses produtos.

Estágio 3: analisar a resposta do produto

Ele expressa o objetivo adicional de criar startups, nas quais, além de produzir, ganhar dinheiro ou atender clientes, o processo de aprender a criar negócios lucrativos é igualmente importante. Para fazer isso, é melhor realizar experimentos, que, segundo Ries, são melhores do que criar pesquisas, porque as pessoas geralmente não sabem o que esperam do produto ou simplesmente pensam que sabem.

Ao oferecer ao cliente nosso produto minimamente satisfatório, podemos observar sua reação e comportamento em relação ao produto fornecido. Após conduzir o experimento e analisá-lo, é possível ver se o projeto foi bem-sucedido e quais aspectos dele não foram resolvidos.

Para ter um retorno de seus consumidores, é muito interessante que sua equipe de pós vendas fique de olho inclusive em métodos de Facebook Business, pois assim poderá acompanhar a satisfação de seus clientes mais de perto.

Estágio 4: tirar conclusões, aprender e modificar o produto

O último estágio é a observação e medição da situação em que a empresa está localizada. Com base nisso, os empreendedores devem decidir se a estratégia atual funciona, ou seja, se é possível melhorar ainda mais o produto e repetir os estágios subsequentes mencionados anteriormente.

Também pode acontecer que seja necessário fazer um retorno, ou “mudança de estratégia sem mudar a visão”. Existem muitos tipos de mudanças, como uma mudança no mercado-alvo ou no produto sendo fabricado.

Por que usar o método Lean Startup?

É um fato inegável que uma startup executada de acordo com o método Lean tem chances estatisticamente maiores de sucesso do que uma startup executada de qualquer outra maneira. Existem pelo menos algumas razões para isso. Embora o mais importante certamente seja o fato do método permitir uma maneira razoável de minimizar o risco.

A suposição básica desse método é que:

“O sucesso de uma startup não é o resultado de bons fundadores ou encontrar o lugar certo na hora certa. O sucesso da startup pode ser planejado e realizado com a implementação de um processo apropriado, o que significa que você pode aprendê-lo e ensiná-lo a outras pessoas”.

É o processo mencionado aqui que é o eixo do método Lean Startup. Esse processo é uma reversão da maneira tradicional de pensar e do comportamento de aspirantes a empresários. 

Lean Startup é o melhor método?

Isso não pode ser afirmado sem premissas apropriadas, mas é certamente uma forma alternativa interessante de construir uma Startup. Quem sabe, talvez seja ela quem permitirá que você alcance o sucesso e esteja perfeitamente adaptado às suas necessidades de negócios? Os dados estatísticos mostram que as Startups desenvolvidas usando esse método têm maior probabilidade de permanecer no mercado do que as tradicionais. Então porque não tentar? 


caio nogueiraCaio Nogueira é cofundador da UpSites, uma agência de criação de sites, apaixonado por novas tecnologias e pelo desafio de criar soluções na internet que conectem pessoas e objetivos.

Espaço Exclusivo para Empreendedores transmitirem conhecimento, desafios e experiências sobre aceleração, captação de investimentos, planejamento de marketing, escalabilidade, feiras e missões comerciais, internacionalização; know how sobre modelagem de negócios, mentoria, MVP, pivotagem, relação com investidores, com sócios, com clientes…e muito mais!

Matérias Relacionadas

No comments yet. You should be kind and add one!

Our apologies, you must be logged in to post a comment.