Com essa ação de confirmação, a empresa afirmou que poderá entender melhor quando as contas estão tentando enganar os seguidores, responsabilizá-las e manter a comunidade segura.

“Analisaremos uma série de sinais para determinar se o proprietário de uma conta precisará confirmar as informações dele. Queremos deixar claro que essa alteração se aplicará apenas a uma pequena parte da nossa comunidade. A maioria das pessoas não será afetada. Isso inclui contas potencialmente envolvidas em comportamento não autêntico coordenado, assim como quando vemos que a maioria dos seguidores de uma pessoa está em um país diferente da localização dela ou quando identificamos sinais de automação, como contas de bot”, disse o Instagram em comunicado.

Ainda de acordo com a companhia, se forem percebidos sinais de atividade potencialmente não autêntica, será necessário que o proprietário da conta confirme quem ele é. Assim que ele verificar as próprias informações, a conta dele funcionará normalmente, a menos que exista algum motivo para investigar mais.

Os números de identificação serão armazenados de forma segura e excluídos em até 30 dias após a conclusão da análise feita pelo Instagram. Eles não serão compartilhados no perfil da pessoa. Se uma conta escolher não confirmar as próprias informações, o conteúdo dela poderá ter a distribuição reduzida, ou a conta poderá ser desativada.

O Instagram mantém uma página na internet com informações sobre o processo de verificação de identidade e os tipos de número de identificação aceitas pela empresa.