A Teladoc Health aceitou comprar a Livongo Health num acordo que avaliado em US$18,5 bilhões, apostando que a crise da Covid-19 impulsionará a telemedicina.

A fusão é, de longe, o maior investimento da Teladoc em sua série de aquisições desde 2017, que a tornou a principal fornecedora norte-americana de uma variedade de serviços de saúde por telefone e online.

Analistas disseram que o acordo deve tornar a empresa combinada a líder em cuidados intensivos online e no gerenciamento de condições crônicas, seguindo o pedido do presidente Donald Trump esta semana para expandir o acesso à telemedicina a 57 milhões de americanos.

As ações da Teladoc caíam mais de 14%, com analistas questionando se a empresa pagou um valor excessivo pela Livongo.

A demanda por assistência médica virtual disparou, com a pandemia impedindo os pacientes de ir ao médico. Um estudo recente estimou que 46% dos norte-americanos agora usam telemedicina, contra 11% em 2019.

Antes da Covid-19, o faturamento anual das empresas de telemedicina nos EUA era estimado em 3 bilhões de dólares. A McKinsey estima que até 250 bilhões de dólares em gastos com saúde nos EUA possam ser com o atendimento virtual.

*Fonte: Agência Reuters