* Por Exame.com

Uma nova série de cursos profissionalizantes do Google deve atacar de frente o apelo que os diplomas universitários nas áreas de tecnologia ainda têm no mercado de trabalho nos Estados Unidos.

O programa, batizado como Google Career Certificates, vai oferecer cursos de seis meses, com valores que são uma fração do que as universidades americanas cobram.

O objetivo é atender à demanda de empresas por profissionais com habilidades técnicas, algo que as universidades, inclusive no Brasil, sempre foram acusadas de não conseguir entregar. Como a duração é pequena, o profissional é capacitado em poucos meses.

O Google não disse exatamente quanto custarão os novos cursos, mas um programa semelhante que a empresa já oferece na plataforma Coursera, o Certificado Profissional de Suporte de TI do Google, custa US$ 49 dólares.

Os três novos programas são:

  • Gerente de projetos
  • Análise de dados
  • UX designer

Para validar esse tipo de capacitação curta no mercado, o Google vai começar a contratar profissionais sem graduação, mas que tenham feito um dos cursos.

Em uma publicação no blog da empresa californiana, Kent Walker, vice-presidente sênior de assuntos globais, afirma que a pandemia do novo coronavírus tem colocado em xeque a educação tradicional.

“Diplomas universitários estão fora do alcance de muitos americanos, e você não deveria precisar de um diploma universitário para ter segurança econômica”, escreveu.

“Precisamos de soluções novas e acessíveis de treinamento profissional — de programas vocacionais aprimorados à educação online — para ajudar a América a se recuperar e se reconstruir.”

Após a conclusão de um dos cursos, o Google promete apoio na busca de emprego. A empresa afirma que os participantes poderão compartilhar informações diretamente com os principais empregadores que contratam para empregos da área nos Estados Unidos, incluindo em empresas como Walmart, Best Buy, Intel, Bank of America, Hulu e o próprio Google.

Além disso, o Google afirma que oferecerá centenas de oportunidades de aprendizagem aos participantes que concluírem o curso.

Os cursos ainda não estão disponíveis para inscrições, mas é possível se cadastrar na plataforma para ser notificado assim que eles estiverem no ar.

Por Victor Sena, para Exame.com