À medida em que as proteções faciais se tornam uma norma em meio à pandemia de coronavírus, a startup japonesa Donut Robotics desenvolveu uma máscara inteligente conectada à internet que pode transmitir mensagens e traduzir textos do japonês para outros oito idiomas.

A “c-mask” se encaixa perfeitamente nas máscaras faciais padrão e se conecta via bluetooth a um aplicativo de smartphone e tablet, que pode transcrever a fala em mensagens de texto, fazer chamadas ou amplificar a voz do usuário da máscara.

“Trabalhamos duro durante anos para desenvolver um robô e usamos essa tecnologia para criar um produto que responda como o coronavírus reformulou a sociedade”, disse Taisuke Ono, diretor executivo da Donut Robotics.

Os engenheiros da Donut Robotics tiveram a ideia da máscara enquanto procuravam um produto para ajudar a empresa a sobreviver à pandemia. Quando o coronavírus começou a se espalhar, ele havia acabado de assinar um contrato para fornecer guias e tradutores de robôs ao aeroporto de Haneda, em Tóquio, um produto que enfrenta um futuro incerto após o colapso das viagens aéreas.

As primeiras 5 mil máscaras criadas pela empresa serão enviadas aos compradores no Japão a partir de setembro. O diretor afirmou que também quer levar a proteção para China, Estados Unidos e Europa também. “Houve um grande interesse”, disse ele.

Com cerca de US$ 40 por máscara, a Donut Robotics visa um mercado de massa que não existia até alguns meses atrás. Um objetivo, disse ele, é gerar receita com os serviços de assinantes oferecidos por meio de um aplicativo que os usuários farão o download.

Ono arrecadou 28 milhões de ienes (US$ 260 mil) para o desenvolvimento da máscara inteligente, vendendo ações da Donut Robotics através do site japonês de financiamento coletivo Fundinno. “Aumentamos nossa meta inicial de 7 milhões de ienes em três minutos e paramos após 37 minutos, quando atingimos 28 milhões de ienes”, disse ele.

Fonte: Agência Reuters