* Por Renato Alves

Em todos os setores das nossas vidas, o descontentamento é o combustível necessário na busca por novas oportunidades. Diante da polarização política do Brasil e do ambiente empresarial desfavorável, migrar para os Estados Unidos e tentar o sonho americano pode ser uma ótima alternativa para milhares de pessoas.

Ao contrário do que se possa imaginar, a pandemia e o dólar alto não são obstáculos para quem quer investir no exterior. Os únicos empecilhos têm sido as fronteiras fechadas, que serão reabertas em breve, e a suspensão temporária da emissão de alguns vistos de trabalho.

Mesmo diante da crise, a América continua sendo a maior economia do mundo, vista com bons olhos pelos profissionais que almejam estabilidade nos negócios e melhores condições de vida. A covid-19 fez com que o mundo todo estacionasse, mas a recuperação financeira dos EUA está um passo à frente: contrariando todas as expectativas, o país abriu 4,8 milhões de vagas de emprego em junho, segundo informações divulgadas no relatório mensal do Departamento do Trabalho. Os dados foram liberados no início do mês de julho.

Estar inserido em terras norte-americanas, significa a garantia de uma boa colocação no mercado de trabalho, além da chance de conquistar o visto de residência permanente e receber salário em moeda forte e com alta liquidez. Começar algo do zero ou participar do processo de internacionalização, também faz com que os empreendedores ganhem credibilidade e atraiam holofotes de todo o globo para os seus negócios. No entanto, é preciso estudar com cautela o segmento de atuação onde a empresa será sediada e adequá-la aos padrões internacionais.

Vejo matérias sendo veiculadas na mídia com personagens brasileiros dizendo que gostariam de retornar dos Estados Unidos por não se sentirem amparados durante a crise. Confesso ficar surpreso, uma vez que se a pessoa tiver o Green Card ela é tratada da mesma forma que os cidadãos americanos, ou seja: no primeiro momento todo mundo sofre os impactos da recessão de igual para igual, mas na retomada todos caminham juntos. Inclusive, brasileiros que têm a documentação legal, também estão recebendo o auxílio emergencial do governo.

Para quem pensa em sair do Brasil e investir nos Estados Unidos, diria para aproveitar a quarentena para melhorar o currículo e a fluência em inglês. Em breve o mercado retomará a sua força e vai haver uma dificuldade de mão de obra qualificada no país. Vale lembrar, que cada vez mais os americanos têm apoiado o aumento da imigração, por entender que pessoas de outras nacionalidades, com pós-graduação ou habilidades acima da média, vem para somar.

O momento é oportuno para que as pessoas façam planejamentos imigratórios e definam o visto que melhor se encaixa nos seus objetivos. Não espere o coronavírus passar: quanto antes você corre atrás dos seus sonhos, mais perto está de realizá-los. Desejo sucesso!


Renato Alves é diretor de Expansão da Bicalho Consultoria Legal, empresa especializada em migração, internacionalização de negócios e franquias.