A varejista Lojas Americanas comunicou nesta segunda-feira que seu conselho de administração aprovou oferta restrita de até 243 milhões de ações, incluindo preferenciais e ordinárias, que espera precificar em 14 de julho.

Considerando os preços de fechamento das ações na última sexta-feira, a oferta pode movimentar até R$ 7 bilhões.

A companhia afirmou que pretende destinar os recursos da operação a investimentos na sua controlada AME Digital, capitalização da B2W e otimização da sua estrutura de capital.

Em relação à capitalização da B2W Digital, a empresa disse que ela e B2W estudam a possibilidade de um aumento de capital por subscrição privada na B2W Digital de, aproximadamente, R$ 3 bilhões, pretendendo a Lojas Americanas investir até esse valor, sem prejuízo do exercício do direito de preferência pelos demais acionistas da B2W Digital.

“Não obstante, esse estudo é preliminar e, até a presente data, não há definição sobre as condições gerais, inclusive preço por ação e data, para realização desse eventual aumento de capital, que terá por objetivo, prioritariamente, acelerar o crescimento, incluindo eventuais aquisições estratégicas, e otimizar a estrutura de capital da B2W Digital”, afirmou.

A oferta anunciada nesta segunda-feira prevê uma distribuição primária inicial de 80 milhões de ações ordinárias e 100 milhões de ações preferenciais, que poderá ser acrescida em até 35% (até 28 milhões de ONs e até 35 milhões de PNs) para atender a eventual excesso de demanda.

Em fato relevante, a varejista disse que, alternativamente, se durante ou após o procedimento de bookbuilding (processo que visa encontrar um preço justo para uma oferta pública de valores mobiliários), for verificada a distribuição parcial, a quantidade total de ações inicialmente ofertada poderá ser acrescida em até 35% (até 35 milhões) de preferenciais.

A distribuição parcial apenas poderá ser verificada no âmbito da colocação das ações ordinárias, não havendo tal limitação no âmbito da colocação das PNs.

Fonte: Agência Reuters