O Smart Money Ventures, veículo de investimento de Fábio Póvoa e César Bertini, acaba de criar a Mentoria Smart Money, primeiro programa do gênero a unir orientação sólida e fundamentada a startups, com um componente de impacto social.

Para participar, as empresas podem fazer sua inscrição por meio do site. Caso aprovada para receber a mentoria, a startup deverá fazer uma doação de R$ 199,00 para instituições de caridade de sua preferência por meio da plataforma Doare.​

O programa é aberto para todos, incluindo alunos ainda em graduação, jovens com ideias ainda carentes de formatação, empreendedores com produtos ainda em ideação ou desenvolvimento, e até mesmo empreendedores sendo acelerados ou com startups já tracionando.

Para empresas em estágio de crescimento, que contam com produtos definidos, clientes ativos e que já geram receita, é fundamental que alguns materiais básicos, como a apresentação para investidores (pitch dech) e planilhas com os principais números do negócio, sejam enviadas para análise pelos mentores de forma prévia.

De acordo com Fábio Póvoa, além de ter uma componente social de apoio a organizações não governamentais, a mentoria foi pensada para oferecer não apenas dicas, mas interação real, com insights e críticas, que propiciem crescimento e capacitação real para os empreendedores – a essência do que se convenciona chamar de smart money​​.

“Percebemos que o termo ‘mentoria’ acabou se tornando mal visto entre empreendedores, sinônimo de ‘pitaco de graça’, ou desculpa ‘humilde’ para conseguir acessar e se conectar com investidores. Isso acontece porque, em geral, as seções de mentoria não costumam ter o engajamento dos mentores, e o resultado são ensinamentos genéricos que, muitas vezes, mais atrapalham do que ajudam. Queremos trazer uma experiência diferente de interação aprofundada com potenciais e atuais empreendedores”, explica Póvoa.

Ele ressalta que a ideia do programa de mentoria da Smart Money Ventures nasceu de sugestões dadas pelos founders das startups que integram o próprio portfólio de investidas. “Nossos empreendedores ressaltam o valor que agregamos durante a análise da startup, e principalmente após a rodada, vai muito além do capital. Durante a gestão cotidiana do portfólio, sempre nos dizem que seria muito rico se outros empreendedores também pudessem passar por uma experiência análoga. Daí veio a ideia de criarmos a mentoria como uma experiência real de interação prática, com análise prévia de materiais e debate em cima de perguntas e dúvidas postadas pelos empreendedores que se candidatam”.

Fábio também ressalta um importante aspecto pedagógico da iniciativa. “A experiência que tive em diversas interações indica que que a esmagadora maioria de empreendedores que buscam mentoria, na verdade, precisam mesmo de capacitação”. Os empreendedores que aplicarem terão também indicações de leituras, ferramentas, melhores práticas e outras referências que já direcionem e respondam suas dúvidas.

Papo reto

O programa da mentoria em si contemplará interações via Zoom, de 45 minutos, entre empreendedores e os sócios Smart Money Ventures. Segundo Cesar Bertini, “a mentoria contemplará, em boa medida, uma dose de ‘papo reto’, com críticas construtivas e questionamentos feitos em cima dos materiais (pitch e planilhas), exatamente como fazemos quando analisamos uma oportunidade”.