O Brain, centro de inovação e negócios digitais fundado para evoluir a gestão da inovação e pensar soluções disruptivas para o Grupo Algar, está com inscrições abertas para a segunda edição do Brain Summer Job. Seguindo o modelo americano de estágio de férias, ele tem duração de 60 dias e busca talentos de qualquer lugar do país interessados em uma experiência prática de aprendizado com negócios, métodos e tecnologias enquanto ainda estão na universidade.

O programa foi criado para atender a uma série de objetivos do Brain, entre eles identificar talentos, testar o modelo de contratação por soft skills, testar o modelo de trabalho 100% online desde o processo seletivo, avançar na mudança de mindset da empresa e gerar novas soluções. 

“As universidades ainda têm dificuldade de preparar os profissionais para o mercado de trabalho do futuro e possuem um gap na formação em soft skills e metodologias. Essa foi nossa motivação, assim como o papel que o Brain tem na propagação da cultura de inovação e no desenvolvimento do ecossistema”, explica Zaima Milazzo, presidente do Brain.

Durante o Brain Summer Job, os estudantes serão desafiados a entender um problema, definir uma solução, prototipar e validar a proposta desenvolvida – tudo a distância. Após uma primeira semana de integração para conhecer todos os projetos, cada participante será direcionado para um squad onde permanecerá pelo período de dois meses.

Depois de uma cerimônia de ideação, o selecionado terá a oportunidade de desenvolver um projeto desafio que resolva alguma dor do squad, dentro de alguma das avenidas tecnológicas do Brain – Internet das Coisas (IoT), Cloud, Digital e 5G. Durante os dois meses, os jovens terão o acompanhamento de mentores de negócio, métodos e de tecnologias, assim como feedbacks semanais.

Em sua versão de 2019, os times trabalharam em equipes e uma das soluções desenvolvidas pelos “Summers” foi na temática de Energia. Eles idealizaram uma solução voltada para o mercado de micro e pequenas empresas a partir da desagregação de carga e automação. Com ela, resolveram diversas dores do setor, como custos elevados com energia elétrica, falta de previsibilidade na fatura e busca por maior sustentabilidade. Ao final, tiveram a chance de participar de uma reunião do Conselho Estratégico do Brain, conhecer os principais executivos e compartilhar a experiência do programa.

Na primeira edição, dos nove participantes, sete foram contratados para vagas dentro do próprio Brain ou da Algar Telecom. Neste ano, a ideia também é identificar potenciais talentos que possam atuar tanto no centro de inovação quanto em qualquer empresa do Grupo Algar. “Estamos em busca de jovens com iniciativa, que tenham autonomia, sejam criativos e disruptivos. Pessoas interessadas em atuar com os times, contribuir, aprender e vivenciar um ambiente de experimentação”, destaca Zaima.

Serão oferecidas ao menos 15 vagas – não remuneradas, uma vez que o intuito do Brain Summer Job é o aprendizado. Interessados em participar precisam ter disponibilidade de estagiar 30 horas por semana, possuir perfil empreendedor e interesse por tecnologia e inovação e estar matriculado em uma instituição de ensino superior a partir do 4º período de qualquer curso e de qualquer lugar do Brasil. Para os que forem contratados, o formato passa a ser remunerado. A previsão de início do programa é 15 de julho.

As inscrições já estão abertas e devem ser realizadas até 21 de junho pela página de carreira do Brain.