* Por Sérgio Roque

O que todos procuram hoje é a pílula da felicidade. Como um remédio que se toma e resolve todos nossos problemas. Este imediatismo atual e nossa ânsia de consumir é a causa de toda depressão, estresse e ansiedade, ou seja, de toda nossa infelicidade. 

Procuramos os gurus com seus 10 passos para ser feliz, a palestra sobre as 10 leis do sucesso, compramos o livro com o que os 10 maiores CEOs dizem o que fizeram e assim, por um tempo, nos sentimos bem, mais confiantes e continuamos vivendo do mesmo jeito.

O tempo todo pensamos em soluções imediatistas para resolver os problemas: mais dinheiro, outro emprego, uma promoção, um carro novo, um apartamento novo, um relacionamento novo, mais isso, mais aquilo. 

Nas empresas o imediatismo é o dia a dia. Pressão, precisamos de novos projetos, novos produtos, se livrar das velhas e demoradas estratégias e pessoas, contratar novos talentos dinâmicos, planos de emergência para a crise, planos de urgência para a retomada. Precisamos de mais clientes, mais capital, mais lucro, mais ideias, mais saídas, mais tempo.

Para viver assim consumimos o prazer rápido (mais pílulas) tais como uma live, um vídeo, uma série ou um cinema, um jantar ou uma balada, uma viagem, uma bebida, sexo casual, um ansiolítico aqui, um tranquilizante lá.

E assim, por um tempo, nos sentimos bem, mais confiantes e continuamos vivendo do mesmo jeito. 

Também não estou dizendo que isso tudo é ruim, que lhe faz mal, porém ninguém lhe diz que a felicidade não pode ser um objetivo de vida, porque felicidade é algo pontual. 

Ninguém lhe fala que, se você quer se sentir bem com você mesmo, em paz com as pessoas, sentir amor no que faz e em equilíbrio com a sociedade e o planeta em que vive, tem que se conhecer muito bem e que este caminho é único e só você pode fazer. 

Ninguém lhe vende esta jornada solitária, sem glamour, sem conforto, vivendo ao mesmo tempo as pressões e problemas do cotidiano (família, vida profissional, sociedade, etc.), tem que ser feita até o fim e todas as pedras que encontrar no caminho, e algumas são enormes, precisam ser quebradas em pedaços bem pequenininhos.

Depois você terá que voltar, percorrer tudo de novo recolhendo todas elas – acredito que neste caminho de volta já não estará tão sozinho e encontrará ajuda –  e carrega-las até o lugar de onde partiu.

Ai sim você vai construir com suas pedras um novo mosaico, sólido, com mais cor, com mais poesia, com mais amor e beleza, com um novo propósito e um novo significado. E este propósito você devolverá ao mundo de presente ensinando o que aprendeu àqueles que não tiveram o mesmo privilégio que você.

Ninguém lhe vende isso porque dá trabalho. E você não quer comprar mais trabalho. E os dias que virão exigirão isso de você.

O autoconhecimento e o propósito é essencial se você quer ser um profissional melhor, um líder melhor, trabalhar em um ambiente com harmonia, viver intensamente sua família e a pessoas que ama e ainda ter tempo de construir uma sociedade mais equilibrada e justa, porém tem que ser trabalhado e buscado todo dia.

E ainda não criaram uma pílula que resolva isso.


Sergio Eduardo Roque é coach executivo e de vida com foco em processos de autoconhecimento na SerOQue Desenvolvendo Pessoas. Com formação em engenharia (FAAP) e marketing (ESPM) atua há mais de 25 anos no mercado como executivo e empreendedor.