O Mercado Livre se uniu à Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) – iniciativa que busca a construção de soluções inovadoras para o desenvolvimento sustentável da Amazônia – para promover a venda de produtos da biodiversidade amazônica na sua plataforma.

A iniciativa faz parte da estratégia de sustentabilidade do Mercado Livre que, entre outros objetivos, busca capacitar e apoiar a atuação de empreendimentos que já promovem impactos socioambientais positivos, além de ampliar a venda de produtos sustentáveis na plataforma.

“Entendemos que o comércio eletrônico pode ser uma alternativa para os desafios de comercialização e logística na região, e que o incentivo a esses empreendedores contribui para a geração de renda e para a conservação florestal no território, além de apoiá-los neste delicado momento de pandemia”, afirma Laura Motta, gerente de Sustentabilidade do Mercado Livre.

A parceria já conta com oito empreendimentos, entre eles, Manioca Brasil e Da Tribu, que comercializarão um portfólio diversificado de produtos como colares, anéis, brincos e pulseiras de fios de algodão cobertos de látex, chocolates e geléias de cacau, açaí e de pimenta de cheiro, doce de cupuaçu e molho de tucupi preto, entre outros. A previsão é de que, até o final do ano, pelo menos 20 empreendimentos façam parte da iniciativa e de que mais de mil famílias, de 60 comunidades locais, sejam beneficiadas com a ação.

“Um dos aspectos essenciais de desenvolver as cadeias de produtos sustentáveis da Amazônia é que eles possam chegar aos consumidores. A entrada do Mercado Livre na PPA e esta parceria com o Programa de Aceleração vieram em um momento chave para podermos continuar apoiando negócios de impacto”, disse Augusto Corrêa, Secretário Executivo da PPA.

“A Amazônia oferece produtos incríveis, que são desconhecidos pela maioria dos brasileiros. O grande desafio da atualidade é movimentar uma nova economia para a região por meio de empreendedores e negócios sustentáveis, que geram renda e qualidade de vida para comunidades locais e ajudam a conservar a floresta. No contexto atual, esses empreendimentos perderam acesso aos mercados e praticamente interromperam suas atividades – já que não estavam preparados para o comércio online. O nosso maior objetivo na parceria com o Mercado Livre é abrir novos canais de comercialização e conectar um pouco mais os brasileiros com a floresta amazônica”, conclui Mariano Cenamo, coordenador do Programa de Aceleração e Investimento de Impacto da PPA e Diretor de Novos Negócios do Idesam.