A Huawei Technologies anunciou nesta semana que recebeu permissão para construir um centro de pesquisa e desenvolvimento de 1 bilhão de libras na Inglaterra.

A instalação empregará cerca de 400 pessoas e vai se concentrar na produção de dispositivos para uso em sistemas de comunicação por fibra óptica, informou a empresa em comunicado.

A notícia deve irritar autoridades norte-americanas e alguns parlamentares britânicos que estão pressionando o primeiro-ministro, Boris Johnson, a reconsiderar a decisão de conceder à Huawei um papel limitado nas redes 5G do Reino Unido. Washington alega que os equipamentos da Huawei podem ser usados por Pequim para espionagem; uma acusação que a empresa nega.

Autoridades britânicas agora dizem que estão revisando as orientações específicas sobre como os equipamentos da Huawei devem ser implantados, após novas sanções dos EUA anunciadas em maio contra a empresa. Espera-se uma decisão nas próximas semanas.

“O Reino Unido abriga um mercado aberto e vibrante, além de alguns dos melhores talentos que o mundo tem a oferecer”, disse o vice-presidente da Huawei, Victor Zhang.

Antes da decisão na terça-feira, o subsecretário de Estado dos EUA, Keith Krach, acusou a China de usar esquemas semelhantes para expandir sua influência.

“Eles doam dinheiro, contratam pessoas e melhoram suas credenciais de relações públicas. Depois vem o assédio moral, a coerção e a expansão do estado de vigilância”, disse ele no Twitter.

Fonte: Agência Reuters