A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) lançou hoje o edital Digital BR que selecionará projetos conduzidos por, pelo menos, três instituições (de natureza pública ou privada) que tenham como missão contribuir para a transformação digital de micro, pequenas e médias empresas nos estados do Nordeste. O programa vai selecionar na primeira fase até 20 projetos.

A iniciativa vai acelerar projetos estruturados em redes em ecossistemas de inovação na região. Poderão participar arranjos compostos por, pelo menos, três instituições diferentes com competência para atuar na implementação do projeto. Na fase piloto, o investimento será entre R$ 500 mil e R$ 1,5 milhões de reais por projeto. Na fase de escala, entre R$ 500 mil e R$ 1,5 milhões de reais por projeto. Ou seja, pode chegar a um total de até R$ 3 milhões por projeto. O investimento da ABDI no programa, considerando todas as fases, será de R$ 14 milhões.

“A ABDI quer acelerar projetos com potencial para inovar as empresas do Nordeste e aumentar sua maturidade digital. A crise da covid-19 aponta para a necessidade irreversível da digitalização da nossa economia. E queremos propagar soluções que ajudem os empreendedores nordestinos a buscarem a remodelagem de seus negócios para o período pós pandemia”, afirma o presidente da ABDI, Igor Calvet.

Nordeste

O Digital BR tem a missão de contribuir para o desenvolvimento da capacidade produtiva das empresas regionais, visando a melhoria de sua competitividade, além de melhorar as condições e características produtivas de uma das regiões mais carentes do país, que lidam com grandes desafios econômicos, sociais e tecnológicos.

De acordo com a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM 2014), o Nordeste é a região mais empreendedora do Brasil. Segundo levantamento do Anuário dos Pequenos Negócios do Trabalho, SEBRAE, 2017, há, na região, 1.076.202 micro e pequenos empreendimentos, o que equivale a 15,3% do total do país.

Além disso, o setor apresenta ótimas respostas às políticas públicas. Projeto piloto de ‘Indústria mais avançada’ realizado pelo Senai, que testou o impacto na produção do uso de ferramentas digitais (sensoriamento, computação em nuvem e internet das coisas – IoT), resultou em aumento médio de 28,2% na produtividade das empresas da região Nordeste. De todas as regiões beneficiadas pelo piloto, o Nordeste foi a que mais teve ganhos de produtividade, demonstrando que pequenas intervenções podem ser significativas para modificar o padrão de produção e desenvolvimento da região.

Etapas Digital BR

As inscrições para o edital poderão ser feitas a partir do dia 25 de junho, até o dia 10 de agosto, por meio do link. Cada rede poderá submeter até 3 diferentes propostas, sendo que apenas uma poderá ser selecionada.

Após a seleção dos 20 projetos, a ABDI aportará metodologias, mentorias e ferramentas de design que auxiliarão a rede com projetos selecionados no melhor refinamento do problema e da solução. Após a mentoria, as redes deverão apresentar projetos consolidados que serão novamente avaliados. No mínimo, os 5 melhores projeto passarão para a etapa seguinte e receberão um prêmio de até R$ 1,5 milhões (a ABDI não exige contrapartida financeira da rede).

Com isso, as redes com projetos selecionados terão 6 meses para testar, experimentar e implementar pilotos, validando sua viabilidade técnica e financeira. Após essa etapa, os projetos passarão por nova seleção e, no mínimo, os 2 melhores (com melhores resultados) passarão para a etapa seguinte e receberão um novo aporte de até R$ 1,5 milhão. Para seguir para a próxima fase, no entanto, nesta etapa, a ABDI exige uma contrapartida financeira da rede, que deverá ser igual ou superior ao total aportado pela Agência.

A partir daí, os projetos selecionados terão 6 meses para expandir o projeto, replicando as intervenções previstas a outros contextos. Esta etapa será formalizada mediante assinatura de Termo de Convênio com a ABDI. Deverão ser apresentados, ao final desta etapa, os resultados e comprovações da implementação da escala e um relatório de boas práticas do projeto apoiado.

Por fim, a partir da análise dos impactos das políticas, programas e projetos implementados, a ABDI irá gerar um toolkit para orientar e servir como referência para a construção de uma estratégia geral de apoio a políticas, programas e projetos de transformação digital do setor produtivo.