Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, os pequenos empreendedores sofreram um impacto direto em seus negócios. Em busca de auxiliar as empreendedoras que passam por essa situação, o Consulado da Mulher, ação social da marca Consul, abriu um processo de mentoria para as assessoradas do Instituto durante o período de isolamento social, por meio de seu curso a distância. Com resultados relevantes na primeira turma, as inscrições para novas assessoradas estão abertas desde segunda-feira.

Nesse projeto, mentores e mentoras do Consulado da Mulher – além de colaboradores voluntários da Whirlpool, dona das marcas Consul, Brastemp e KitchenAid – assim como familiares e amigos, instruem cada uma das empreendedoras em sessões individuais e em grupo, tendo como base a metodologia de trabalho desenvolvida pelo Consulado da Mulher, reconhecida desde 2009 pela Fundação Banco do Brasil e Unesco como uma tecnologia social replicável e que entrega os resultados aos quais se propõe: geração de renda e estímulo ao empreendedorismo feminino, especialmente para grupos em vulnerabilidade.

A iniciativa já contou com a participação de 105 assessoradas das unidades de São Paulo, Rio Claro, Joinville e Manaus. Além das oficinas com o Instituto, onde são ensinados conceitos de empreendedorismo, educação financeira, marketing, sustentabilidade, entre outros pilares, essas mulheres tiveram a oportunidade de aprender uma nova visão de negócios com os voluntários e voluntárias da iniciativa.

A empreendedora Maria Alzira, de Manaus, teve seu empreendimento, Gostosuras da Alzira, impactado fortemente pela crise já no primeiro mês de isolamento social, quando faturou em torno de R$ 700. Com a mentoria de Allyne Magnoli, diretora de Marketing da Companhia, Alzira trabalhou novos modelos de comercialização, alterando o nome do seu negócio para Cozinha de Mãe, montando novas opções de combo para seus produtos, e escolhendo uma logomarca produzida por Allyne. Com isso, seu faturamento aumentou consideravelmente, chegando a R$ 2 mil no mês de abril.

Em Rio Claro, Maria Luisa e Sergio, donos do empreendimento Chácara Alternativa, começaram a fazer bolos com a temática da Páscoa depois de receberem o recurso financeiro doado pelo Consulado, mas estavam com dificuldades para vender. Ao saber desse projeto, Jorge Sampaio, noivo de uma colaboradora da Whirlpool, se voluntariou para dar dicas de fotografia e em relação aos valores e tamanhos dos produtos, o que fez crescer o número de vendas. Além disso, as empreendedoras começaram a dividir o frete do delivery com outras empreendedoras do bairro, o que barateou significantemente os custos, pois se encontram afastados da cidade.

Já a moradora de Joinville, Carmem Jacobi pôde contar com a assessoria de Tadeu Bonassa, Senior Manager da Whirlpool, para o seu negócio, o Família Jacobi. Uma primeira ação foi a contenção dos gastos, extremamente necessária nesse contexto de crise. A empreendedora também recebeu apoio do seu mentor para sanar dúvidas sobre o Auxílio Emergencial da Caixa. Construíram uma relação de confiança e muita gratidão e ela já o convidou para conhecer seu empreendimento depois que o isolamento social acabar.

Simone Alves de Oliveira, que conta com o empreendimento Si’s Gourmet em São Paulo, teve a gerente de Consumer Care, Izabela Azevedo, como mentora nesse período. Ela deu dicas para as encomendas na Páscoa, enviando cartinhas de agradecimento escritas à mão aos clientes, que geraram um resultado significativo nas vendas e fidelização de clientes. Além disso, Izabela divulgou os produtos e contatos de Simone em suas redes sociais.

Esses são apenas alguns exemplos de empreendimentos auxiliados pelo projeto de mentoria do Consulado da Mulher, em parceria com os colaboradores da Whirlpool e seus familiares e amigos. Para dar continuidade, as inscrições para novas turmas ficarão disponíveis até a lotação do grupo. As vagas são limitadas a 200 alunos por turma e para se inscrever, basta acessar o site.

Com conhecimento e empatia, o Instituto capacita diversas mulheres e reconhece que, em período de crise, é ainda mais importante que essas pessoas sejam amparadas.