A fashiontech houpa acaba de captar R$ 12 milhões em investimentos através de investidores, não identificados, com foco em empresas de tecnologia para o varejo. Os recursos serão destinados no aprimoramento de diversos serviços e ampliação de atuação do negócio.

A startup, que foi fundada em 2018, possui uma interface que funciona como um mix de rede social com marketplace. O aplicativo facilita e dá fluidez ao trabalho de atacadistas e varejistas de moda e já possui 40 colaboradores, trabalhando para atender mais de 20 mil usuários, com perspectiva chegar a 1 milhão de usuários ao final de 2020.

O objetivo da empresa é empoderar empreendedores do setor e gerar sustentabilidade e eficiência para o usuário. A ideia está tendo engajamento, só em 2019, o houpa movimentou mais de R$ 10 milhões em compra e venda de roupas e captou mais de 1 mil marcas atacadistas parceiras para sua rede e 12 mil varejistas.

Os recursos captados serão destinados no aprimoramento de diversos serviços e ampliação de atuação do negócio. A fashiontech, sediada no Bom Retiro em São Paulo, tem conquistado marcas atacadistas e varejistas em várias regiões do Brasil, e projeta ampliar seu alcance para todos os polos de moda do país

O sucesso da captação se deu pela exclusividade da solução no mercado da moda, além de inovar um hábito tão tradicional de empreendedores do setor. Muitos deles, acostumados até então a fazerem suas compras em bairros como o Bom Retiro e Brás, em São Paulo, podem agora ter todos os produtos acessíveis por meio do aplicativo.

Em tempos em que o isolamento social imposto pela covid-19 afeta diretamente o varejo de bens duráveis, como roupas, o aplicativo torna-se ainda mais útil pois possibilita o trabalho remoto. A fashiontech vem para mudar a forma de produzir, comercializar e consumir moda, proporcionando as melhores experiências de produção, compra e venda online, com tecnologia e gestão de dados.

Além da necessidade de ter um sistema de gestão que atende o varejista de moda por atacado, o houpa projeta ampliar a proposta de solução de necessidades desse setor e também anuncia sua abertura para o consumidor final.

Moda com propósito

Após se tornar gestor de sua própria marca, Mateo Kim sentiu a necessidade de um sistema de gestão que atendesse as demandas do mercado de produção de moda. Com isso, percebeu que o mercado ainda não contava com uma plataforma de gestão eficiente. Ao conhecer seu sócio, Gabriel Sanabria, começaram a desenvolver um programa de gestão que, em 2018, viria a ser o houpa. A esta altura, os sócios pensaram também em ampliar a proposta do aplicativo para que ele fosse uma solução completa das necessidades desse setor.

Atualmente, a fashiontech reúne várias funcionalidades como feed das marcas, espaço para troca de mensagens entre os perfis, gestão de estoque e visualização em tempo real, gestão de praça fechada, show-room online e pagamento próprio na plataforma. Para os consumidores finais, a interface do app deverá contar com um espaço que funciona como um closet virtual pelo qual o consumidor poderá entrar em uma rede de comissionamento em cada compra.

“Os custos que uma marca atacadista possui para abrir sua loja online e conquistar clientes, além dos gastos que as varejistas têm em se deslocarem para os principais polos de moda para comprar e revender seus produtos são diretamente minimizados com a adesão ao aplicativo. Ainda, a praticidade e comodidade do consumidor comprar online e poder receber comissões são uma possibilidade exclusiva no mercado. O e-commerce de moda é, ainda, pouco explorado em relação ao mercado de compra física, por isso, enxergamos um grande espaço em potencial”, completa Mateo Kim.