A chegada do novo coronavírus ao Brasil levou o empresariado nacional a participar do combate à pandemia no país. A criação da Health & Health é um exemplo disso. A empresa quer trazer da China 5 milhões de testes rápidos, além de grandes volumes de máscaras, álcool em gel, respiradores e outros equipamentos para suprir a alta na demanda no sistema de saúde brasileiro.

A iniciativa é encabeçada por Antonio Azevedo, fundador e CEO da LogiGo Mobility, especializada no segmento de centrais conectadas para carros e outras soluções de conectividade. Com material pronto para envio ao Brasil, a Health & Health deseja viabilizar a distribuição para instituições e empresas interessadas durante os próximos meses.

Como funcionam os testes?

O método que a empresa pretende oferecer ao Brasil é capaz de indicar se a pessoa possui ou não o vírus em apenas 15 minutos. Com preço a R$ 115, que pode ser adquirido por empresas e instituições, os testes rápidos poderão ser realizados de forma individual com precisão, evitando a sobrecarga de profissionais que estejam trabalhando nos hospitais no combate à doença.

O exame é autorizado pela Anvisa e permite que empresas retornem com segurança as suas atividades. “O empresariado brasileiro estende braço ao governo neste momento de tensão para oferecer uma saída que concilie a responsabilidade pela população com um isolamento mais verticalizado, que seja pautado em dados coletados por aplicativos e que sirvam às autoridades competentes para nortear políticas de controle da doença.”

Os testes rápidos, que podem ser coletados por farmacêuticos autorizados, funcionam de forma similar a medidores de glicose comuns no mercado, extraindo sangue de um dos dedos do paciente. Após a leve picada, o material coletado é depositado em uma pequena plataforma, sob a qual é misturado a um reagente.

Para facilitar o acesso aos dados de pessoas com covid-19, a empresa também criou um aplicativo, assim, caso a presença do vírus seja confirmada, dados da pessoa como gênero, nome, idade e localização são enviados por meio de um aplicativo de celular para armazenamento em nuvem e compartilhados com órgãos competentes.

A iniciativa pode ser levada até mesmo a outros países. “A ideia que oferecemos pode servir não só aos propósitos do Brasil, como também ao mundo todo, onde quer que esta doença esteja afligindo civis e políticos”, afirma Azevedo. “Queremos que o governo e grandes empresas se unam a nós, não pode haver burocracia neste momento em que todos estamos juntos caminhando para o combate a este problema.”

Pensando na segurança de profissionais de saúde, a empresa também providencia a chegada de milhares de máscaras protetoras ao país. Ainda estão previstos respiradores para leitos de unidade de terapia intensiva (UTI), já que um aumento na demanda por estes aparelhos pode trazer consequências drásticas a quem necessite atenção médica para problemas respiratórios alheios à covid-19.

Os interessados podem entrar em contato com a empresa pelo site ou e-mail comercial@healthhealth.com.br.