* Por Ana Flávia Carrilo

Planejamento estratégico, organização, planilhas e metas. Todas essas ações são pré-requisitos do trabalho de qualquer organização e que com certeza se intensificaram nesta nova rotina de isolamento social.

Mas, se eu pudesse te falar de algo ainda mais importante do que isso, que está no coração das startups, eu diria que o pré-requisito fundamental é ou deveria ser a cultura. E hoje vou te contar porque manter a cultura (ou começar a desenvolvê-la) é uma ótima pedida para o atual modelo home office.

Para aqueles que estão conseguindo trabalhar “normalmente” em casa, as funções operacionais de trabalho e projetos não mudaram muito. Checar e-mails, participar de reuniões (os famosos calls), trabalhar em um projeto, atualizar o trello da equipe (leia aqui a ferramenta de gestão de sua preferência).

Mas no fim do dia, o que está faltando? Posso apostar com você, que é o almoço com o time, a companhia de um colega, os comentários sobre o clima, as piadas internas, o happy hour ou aquela pausa do café/cigarro na tarde. Acertei?

Isso tudo acontece porque somos humanos, logo, seres sociáveis e que precisam de um ambiente confiável, com rituais e hábitos de relacionamento, para nos sentirmos motivados. E é só a partir daí que sim, nos tornamos produtivos para  atingir o tal planejamento estratégico que falei lá no começo. Como já diria o sábio Peter Drucker, “a cultura come a estratégia no café da manhã”. E ele está coberto de razão.

Mas é difícil acreditar em algo que não vemos, não medimos e logo, não conseguimos gerenciar, não é mesmo? Mas de forma simples: basicamente, tudo que acontece na empresa passa uma mensagem. E essas mensagens no fim das contas, se torna a cultura daquela empresa.

E vale dizer aqui que não existe cultura boa ou má, o que existe é buscar um equilíbrio entre os objetivos da empresa e proporcionar um ambiente favorável para sua execução. Então minha dica aqui para manter a cultura agora, é explorar ao máximo o ambiente digital para  manter o lado humano como ele era – o que não falta são opções de descontração em grupo (já jogaram stop online? Recomendo!), ferramentas de chamada de vídeo, happy hour, dia temático ou o que fizer sentido para vocês, como um time.

O importante quando falamos de cultura é que o lado humano continue, ainda que virtualmente. Não podemos esquecer que por trás de um rosto na tela do computador, está uma pessoa. E se sua startup ainda não tem/não sabe direito como é sua cultura hoje, que tal começar a pensar nisso? Fica a dica deste webinar aqui que fizemos na Abstartups sobre boas práticas do home office e deste artigo meu completo sobre cultura startup. Pode ser um bom ponto de partida.

Além disso, se você está procurando novas ferramentas para ajudar na gestão do seu time remoto, a Abstartups tem parcerias com várias ferramentas em nosso portal que também podem ajudá-lo! Cuide de você e do seu time nesta jornada. E lembre-se, ninguém solta o wi-fi de ninguém!


Ana-Flávia_Abstartups-150x150Ana Flávia Carrilo é comunicadora por essência, formada em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Acredita no acesso a informação como forma de transformação social. Atualmente, faz parte da equipe de comunicação da Associação Brasileira de Startups, ajudando no desenvolvimento do ecossistema empreendedor brasileiro.