* Por Ivanir França

Para que servem, quantas são e o que “pode e não pode” na relação heading tags e SEO?

Há algumas semanas fiz uma publicação no quadro “pitaco do dia” sobre SEO. A publicação serve para lembrar e trazer coisas básicas, que em geral não são feitas nos sites – tem dúvida, escolha um aleatório e faça uma varredura de SEO, dá medo, sério.

Dito isso, e partindo do conceito de ser simples, e da máxima: “o básico é avançado”, (Bazon, Felipe), a ideia da postagem era apresentar de maneira rápida e didática o que é?, para que serve? e uma dica rápida de como fazer. Eis que um comentário, muito pertinente do Dilmar Ames, trouxe tópicos além, que dão um refino ao SEO e isso acabou levando a este material sobre as heading tags.

Mas começando do começo:

<h2>O que são heading tags?</h2>

Tecnicamente os Hs (h1, h2, h3 … e h6) são elementos de HTML que implicam na quebra de parágrafos para renderizar um cabeçalho. Má eim?

De forma simples, elas apontam no código o que é mais ou menos importante em uma estrutura HTML. Para o Google é como um mapa, pois mostra a hierarquia de importância dos títulos dentro de uma página.

Algo mais ou menos assim:

<h1>Libreria del França</h1>

<h2>Novelistas</h2>

<h3>Novelistas Latinos</h3>

<h4>Novelistas Colombianos</h4>

<h5>Gabriel García Márquez</h5>

<h6>Cien años de soledad</h6>

Como estamos falando de hierarquia, o H1 sempre será mais importante que o H2 e assim por diante. Logo, se a sua palavra chave (pc) for “Libreria del França” ela deve estar no H1, para facilitar o entendimento do Google na entrega do melhor conteúdo ao usuário. Mas lembre de escrever títulos com a pc se isso for relevante e que façam sentido e sejam naturais.

“Usamos as tags H para entender melhor a estrutura do texto em uma página”, John Mueller, Google.

Importante: ter a pc no H1 é importante, mas lembre de responder a intenção do usuário. Se ele estiver buscando por Gabriel García Márquez, a lógica acima poderia ser outra e então seria possível construir uma página interna otimizada à busca, tendo o h1 como: “Gabriel García Márquez”. Para saber mais sobre as buscas que retornam a você: Search Console.

<h3>Tag Title</h3>

Há também a tag title, uma marcação HTML que define o título da página. Em SEO, o title é um dos elementos mais importantes para a otimização onpage. Nas regras de hierarquia o title tem predominância sobre as headings tags.

Na imagem, temos uma ideia prática do conceito. A tag title retorna a busca exata, enquanto as heading tags (h1) de algumas pilar pages funcionam como elementos de apoio aos dados estruturados (autor por exemplo) do portal.

<h2>Como usar as headings tags</h2>

O primeiro ponto que você precisa saber é: não há necessidade de usar todas as Hs em um conteúdo. Dependendo do material, pode haver apenas um H1 e o conteúdo ou um H1 e um H2. Isso vai variar de conteúdo para conteúdo.

Porém, contudo, todavia, respeitável público pagão, não pulem as tags, saltando da H1 para a H3 por exemplo. Outro ponto – motivo inicial do conteúdo – é a questão: posso ou não ter duas tags H1 em um conteúdo?

Na prática pode:

Pergunta : ” Quantas tags h1 devem ser usadas em uma única página ?”

Resposta : “Quantas você quiser”. John Mueller, Google

A linguagem HTML5 possibilita que não haja conflito entre as tags. Mas – sempre há um mas – pense nas lógicas de hierarquia e principalmente na experiência do usuário e pergunte-se, o que faz mais sentido para você?

Pessoalmente prefiro partir do básico muito bem feito, o que em SEO já é muita coisa, e deixar para fazer testes mais profundos após consolidar estruturas, tráfego e público. E, de novo, como sempre há um “mas”, quem define, dentro das regras estipuladas pelo Google, o que é certo ou errado em SEO são os seus dados e o conhecimento que você tem sobre seu negócio.


ivanirIvanir França é Jornalista, Roteirista, Cineasta e atual analista de conteúdo da Delivery Much. Pós-graduado em cinema e graduando em História.