Com o objetivo de criar um banco de ideias que fosse capaz de trazer soluções a microempreendedores, empresas, startups e profissionais autônomos que sofreram algum impacto econômico devido à covid-19, a Shawee, startup que gerencia todas as etapas de um hackathon através de uma plataforma, criou o Mega Hack covid-19, um hackathon online, sem prêmios “materiais”.

Em parceria com a Astella Investimentos, Abstartups, Bossabox, Codenation, Estadão, GR1D, GDG, Sebrae, Rocketseat e outras empresas parceiras,  a iniciativa reuniu 1.571 inscritos, 163 times, mais de 70 empresas apoiadoras, 36 palestrantes, 26 lives, mais de 160 mentores, 279 mentorias realizadas e 67 projetos submetidos.

O hackathon começou no dia 28 de março e seguiu por 11 dias. Durante este período, palestrantes cederam seus conhecimentos e conselhos profissionais em lives no canal do YouTube da startup abordando temas como “Economia em tempos de pandemia”, “Conceitos de design thinking”, “Gestão financeira em situações adversas”, “Modelos de negócio”, entre outros.

Nomes como Ricardo Amorim, considerado o economista mais influente do Brasil pela Forbes, e Camila Farani, investidora anjo e uma das “tubarões” do Shark Tank Brasil, fizeram parte da maratona de vídeos ao vivo.

Os trabalhos foram oficialmente finalizados na terça-feira (07/04) e, nos dias que seguiram a final, a equipe Shawee focou em consolidar todas as ideias criadas durante o Mega Hack em uma só plataforma, uma espécie de showcase das soluções idealizadas para este momento tão difícil.

No total, os participantes do Mega Hack covid-19 desenvolveram projetos que se encaixam em 11 categorias. São elas:

Saúde

Projetos que focam na conexão médico e paciente (telemedicina), demais profissionais da área da saúde e farmácias; comunicação entre hospitais, e de hospitais com pacientes ou na utilização de dados (inclusive geográficos) para mapeamento de contaminados e relação com potenciais contaminados.

Agronegócio

Soluções que conectam produtores rurais com toda cadeia de consumidores (consumidor final,varejo e/ou logística).

Financeiro

Projetos que abordam análise e busca de linhas de crédito, troca de serviços e produtos com moeda própria, empréstimos facilitados (P2P) e/ou soluções para organização do financeiro das empresas.

Comércio

Formas de conectar estabelecimentos e profissionais aos consumidores e também entregadores; facilitadores de doações para famílias carentes. Destaque para a solução que foca nos caminhoneiros e seus hábitos de consumo alimentar, evitando desperdício.

Comunicação

Soluções que geram informações sobre a pandemia (contaminados e não contaminados), geram ofertas ou facilitam atendimento e relação entre hospitais.

Educação

Projetos que oferecem conteúdo para empreendedores, informações sobre saúde como um todo ou estreitam o relacionamento entre escola e pais de alunos.

Entretenimento

Jogos e conteúdo online.

Consultoria

Canais de consulta e rede de apoio a empreendedores.

Marketing

Gestão e criação de artes.

Varejo

Soluções que geram conexão entre empresas e fornecedores.

Logística

Projetos que geram conexão entre empresas e clientes finais.

Diferente de qualquer outro hackathon organizado pela Shawee, o Mega Hack covid-19 não teve um time vencedor. O prêmio, para a startup, foi construção de uma base de ideias viáveis e que têm o poder de diminuir os impactos das recentes e involuntárias transformações do mercado.

O resultado do esforço de, literalmente, centenas de pessoas ao redor do Brasil e muitas, muitas, muitas horas de trabalho 100% online e home office é uma verdadeira vitrine de soluções que podem ser vistas pelo link.

“Foi uma experiência única acompanhar tantos talentos, das mais diversas origens e especialidades, debruçados sobre os principais problemas que afligem nossa sociedade neste momento. Temos certeza que os projetos e ideias irão influenciar e potencializar milhares de outras pessoas”, afirmou Daniel Chalfon, sócio da Astella Investimentos, empresa de capital de risco e uma das apoiadoras do Mega Hack covid-19.

As pessoas envolvidas nesses projetos estão genuinamente dispostas a compartilhar seu conhecimento e tempo para fazê-los funcionar. Mas, para que isso se concretize, chegue ao público-alvo e alcance todo seu potencial, é necessário um pouco mais de colaboração.

A Shawee se disponibiliza para fazer a ponte entre os idealizadores dos projetos criados no Mega Hack covid- 19 e qualquer pessoa (física ou jurídica) que deseje transformar essas soluções em realidade.

Uma nova edição do Mega Hack será anunciada ainda este mês, com um novo tema e novos desafiantes.