* Por Dagoberto Hajjar

Nas últimas semanas eu conversei com um número muito grande de empresários e ouvi a mesma ladainha “2020 será um ano muito bom, mas teremos grande problema de falta de mão de obra qualificada”. A grande maioria continua a frase com “nosso RH tem grande dificuldade em atrair e reter talentos”.

Este é um fardo totalmente injusto que está sendo jogado nas costas de RH!

O empresário não está buscando talentos, mas sim super talentos!

A grande maioria das empresas, no Brasil, não tem processos, então, precisam contratar super talentos que sentem na cadeira e consigam, sozinhos, desempenhar suas funções.

Vou exemplificar com uma conversa que tive com um dos empresários. Eu disse “você está buscando um vendedor que traga uma carteira de clientes pronta, que no primeiro dia de trabalho ele aprenda sobre sua empresa e suas ofertas, que no segundo dia saia visitando clientes e que no terceiro dia traga um contrato assinado, certo?”. Ele, animado, disse que era exatamente isto que o RH deveria procurar.

O último vendedor que este empresário tinha contratado ficou apenas 3 meses e saiu sem fazer uma venda sequer. O vendedor chegou e recebeu um super presente: “a lista dos clientes que não compram de nós há mais de 3 anos, mas que já compraram no passado…” e recebeu a apresentação que eles usavam para apresentar a empresa aos clientes. Este foi o kit de boas vindas.

Ele não recebeu informações sobre o processo de vendas, argumentos que deveria usar para prospectar e qualificar as oportunidades nos clientes, discurso que deveria usar contra os concorrentes, nem o que os vendedores usavam que dava bons resultados. Queriam que ele fosse um super talento com super poderes!

As empresas querem que RH contrate super talentos de vendas, marketing, administração, financeiro, programadores, gestores e tudo o mais!

Conheço um consultor americano que diz que as empresas brasileiras sofrem de falta de book. Ele diz “aqui nos Estados Unidos, contratamos um novo colaborador, ele passa por um processo de onboarding (boas-vindas) onde aprende sobre a empresa e ofertas, e recebe um book com o processo do trabalho que ele executará, então, ele trabalhará by the book. No Brasil não tem o book, então, tem que contratar um super talento que possa trabalhar totalmente sozinho.”

2020 será um ano realmente incrível para o Brasil. Teremos, sim, falta de mão de obra qualificada e as empresas tentarão roubar os talentos das outras empresas. Não será justo pedir para RH resolver isto sozinho.

A empresa terá que contratar treinamento “in company” e consultoria para criar grupos de trabalho e definir os processos, desta forma, os colaboradores trabalharão de maneira homogênea, com mais eficiência e desempenho e, quando da contratação de novo colaborador, ele terá o book para que possa exercer melhor suas funções.

Construir processos deveria ser a prioridade das empresas e do RH para 2020, e traria benefícios para o resto da vida da empresa, permitindo um crescimento maior e sem depender de tantos super talentos.


dagobertohajjarDagoberto Hajjar trabalhou 10 anos no Citibank em diversas funções de tecnologia e de negócios, 2 anos no Banco ABN-AMRO, e 9 anos na Microsoft exercendo, entre outros, as atividades de Diretor de Internet, Diretor de Marketing e Diretor de Estratégia. Atualmente é sócio fundador da ADVANCE – empresa de planejamento e ações para empresas que querem crescer.