* Por Exame.com

A França quer se tornar um novo polo para a criação e desenvolvimento de startups no mundo. Com iniciativas governamentais, de fundos de investimento e de instituições de apoio ao empreendedorismo como a Station F, o número de startups com o status de unicórnio, ou valor superior a US$1 bilhão disparou em 2019. São três estreantes na lista e sete no total.

Alguns dos unicórnios franceses são empresas conhecidas por aqui, como a BlaBlaCar, aplicativo de caronas, e o streaming de música Deezer, concorrente do Spotify. Na lista exclusiva de startups francesas com valor superior a US$1 bilhão também está a Doctolib, uma empresa franco-alemã de softwares para saúde e a OVH, fornecedora de internet.

Outro exemplo é a Meero, plataforma que conecta fotógrafos a empresas para trabalhos rápidos. Com 700 funcionários em sete escritórios pelo mundo, a empresa levantou US$230 milhões em junho do ano passado, chegando a um valor superior a US$1 bilhão. A empresa já entregou mais de 10,5 milhões de fotografias – uma imagem é entregue a cada 25 segundos.

A Meero desenvolve fotografias mais padronizadas para grandes sites globais, como o site de hospedagem Airbnb, a rival do WeWork, Regus, e o app de delivery Uber Eats. Esses sites precisam ter páginas de busca e de produtos atraentes e uma das formas de fazer isso é padronizando as imagens. Assim, a Meero criou diretrizes para as fotografias, de ângulos, composição e iluminação, que são repassadas a todos os seus 40 mil fotógrafos cadastrados na plataforma.

Depois de um aporte série B, em 2018, a empresa passou de 100 a 800 funcionários e de apenas um para sete escritórios pelo mundo, de Nova York a Tóquio. A ideia já era ser uma empresa global desde o começo, diz Rebaud, já que seus principais clientes são multinacionais, como Airbnb, Booking e Uber Eats.

Um dos  pontos forte da empresa é o software de edição de fotos que funciona com inteligência artificial para automatizar a pós-produção das imagens. “Queremos trazer a escala da tecnologia para a fotografia”, diz Thomas Rebaud, fundador e CEO.

Os segmentos mais recentes são imagens de produtos para e-commerce e fotografias de casamentos. Além da plataforma de fotografia, a Meero está ampliando seu escopo de atuação para cursos e conteúdo como vídeos e podcasts para os fotógrafos.

Mentalidade de unicórnio

Assim como outros unicórnios, a Meero planeja continuar crescendo de maneira acelerada no curto e médio prazo, sem pensar no lucro por enquanto. “Todas as empresas precisam queimar caixa para crescer. Acreditamos que o nosso mercado tem um potencial muito grande e escolhemos continuar crescendo antes de gerar algum lucro”, diz Rebaud.

Segundo ele, a alta no número de unicórnios chama atenção para o cenário empreendedor no país. “Paris está atrasada em relação a Londres ou Berlim, mas estamos recuperando espaço perdido”, afirma.

Mesmo assim, o valor de uma companhia antes de um IPO é apenas uma negociação entre empreendedores e investidores – apenas na Bolsa é que esse valor deve ser analisado com mais frieza. “Ainda temos muitos anos de trabalho pela frente e o valor da startup não muda nossa realidade”, diz o CEO.

A matéria completa sobre o aumento do empreendedorismo na França está na edição 1204 da Revista Exame.

* Por Karin Salomão, para Exame.com