* Por Ana Flávia Carrilo

O mês de março é um período importante pois levanta a pauta de mulheres no mercado de trabalho, a diversidade em diversos setores da sociedade e muitos falam sobre igualdade de gêneros. Porém, mais importante do que isso, é falar sobre equidade. E por que essa palavra é tão importante?

Nós, mulheres somos mais de 50% da população, mas essa mesma proporção não é vista em outros lugares, especialmente quando falamos de mercado de trabalho e o ecossistema empreendedor entra nessa! Hoje, no Startupbase apenas 16% da base é de mulheres, contra 84% de homens.

No Cubo, o maior hub de inovação da América Latina, apenas 25% das residentes são mulheres. Ainda que esse número seja maior do que a média de mercado que é de apenas 16%, são números pequenos e longes de um cenário ideal.

O discurso de igualdade parte da ideia de que devemos tratar todos iguais, porém não somos iguais, então a palavra acaba com o sentido de pluralidade e de diversidade. A igualdade persiste em uma padronização, e não é assim que fazemos acontecer. Devemos, por isso, buscar pela diversidade, a equidade, a valorização e a equiparação da mesma.

E como conseguimos isso? Com ações e propostas de valorização a diversidade, e você independente do gênero pode ser um agente dessa causa, não só agora durante o mês de março.

No cenário empreendedor, acompanhe e valorize o trabalho de mulheres empreendedoras – iniciativas de fomento como a Programaria, Woman Will do Google for Startups e a Rede Mulher Empreendedora (RME), conecta-se com a comunidade de startups e conte com a Abstartups.

Se você é uma mulher empreendedora, cadastre sua startup em nossa base de dados (faça isso aqui) e participe dos nossos estudos e mapeamentos! Responda a Radiografia 2020 (acesse aqui) e compartilhe sua visão sobre o mercado. Assim, com informação, conseguimos lutar por mais espaços e divulgar dados. Vamos juntas conquistar nosso espaço?


Ana Flávia Carrilo é comunicadora por essência, formada em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Acredita no acesso a informação como forma de transformação social. Atualmente, faz parte da equipe de comunicação da Associação Brasileira de Startups, ajudando no desenvolvimento do ecossistema empreendedor brasileiro.