Já pensou ser servido por uma máquina? Pois no Japão, isso já é uma realidade. O primeiro barman robô do país começou a servir bebidas em um pub de Tóquio, em um teste que pode iniciar uma onda de automação em restaurantes e lojas. Isso ocorre por conta da dificuldades dos estabelecimentos em contratar novos funcionários.

O robô industrial reaproveitado é operado pela rede de restaurantes Yoronotaki. Nele, há um tablet acoplado com a imagem de um rosto que sorri e fala sobre o clima enquanto prepara os pedidos. O teste do barman robô no pub, que emprega cerca de 30 pessoas, durará dois meses, após os quais a Yoronotaki avaliará os resultados.

Fabricado pela empresa QBIT Robotics, o robô pode servir uma cerveja em 40 segundos e preparar um coquetel em um minuto. Ele usa quatro câmeras para monitorar os clientes e analisar suas expressões com um software de inteligência artificial (AI). “Lidar com pessoas pode ser um aborrecimento. Aqui, você pode simplesmente ficar bêbado”, disse Satoshi Harada, funcionário de um restaurante depois de pedir uma bebida.

“Esperamos que seja uma solução”, disse Yoshio Momiya, gerente da Yoronotaki. “Ainda há uma série de questões a serem resolvidas, como encontrar espaço suficiente para isso, mas esperamos que seja algo que possamos usar”. Por cerca de 9 milhões de ienes (US$ 82 mil), o robô custa o mesmo que empregar um barman humano por três anos.

Encontrar novos funcionários, especialmente no setor de serviços do Japão, deve ficar ainda mais difícil. O governo diminuiu as restrições de visto para atrair mais trabalhadores estrangeiros, mas as empresas ainda enfrentam escassez de mão de obra, à medida que a população diminui e o número de pessoas com mais de 65 anos aumenta para mais de um terço do total.

As empresas de serviços que não podem se mudar para o exterior ou tirar proveito da automação são mais vulneráveis que as empresas industriais. Somente na área da saúde, o Japão espera um déficit de 380 mil trabalhadores até 2025.