* Por Erik Nybo  

Sempre falamos que as empresas de tecnologia estão coletando dados sobre nós. Principalmente agora com a onda da Lei Geral de Proteção de Dados. No entanto, quais dados são estes? E se elas usam isso para montar nossos perfis, como será que essas empresas nos enxergam? Abaixo você pode verificar um pouco sobre como eles te classificam.

Facebook

Se você é um usuário do Facebook, você pode instalar este plugin para verificar como a empresa classifica as fotos que você posta para poder identificar suas preferências. Vale lembrar que o Facebook é dono do Instagram.

Google

O Google coleta diversas informações sobre você e isso não é novidade. Agora, o que você ainda não sabia é o quanto de informação e nem como ele te enxerga. Algumas das formas pelas quais o Google coleta informações sobre você:

  • Quando você realiza pesquisas pela ferramenta de buscas (Google Search e Google Chrome);
  • Cliques em resultados da busca;
  • Robôs de busca de informação (web crawlers – Googlebot);
  • Google Ads apresenta uma série de informações sobre comportamento do usuário quanto a anúncios;
  • Serviço de e-mail (Gmail);
  • Serviço de armazenamento na nuvem e outras ferramentas (Google Drive);
  • Aplicativos (GSuite);
  • Sistema operacional Android;
  • Youtube;
  • Google Flights e Google Maps;
  • Dentre outros.

Uma maneira de verificar como o Google te enxerga é acessando as Configurações de AnúncioNeste link você pode verificar como o Google classifica suas preferências:

A empresa também mantém um histórico dos locais por onde você já passou, que pode ser consultado aqui:

Instagram

O Instagram tem uma parte de identificação de preferências para anúncios bem parecida com a do Google que pode ser acessada aqui:

Além da parte de preferências para anúncio, o Instagram apresenta outras informações sobre o seu perfil como hashtags e interações que você teve ao longo do tempo em que utilizou o aplicativo.

Dessa maneira, os aplicativos e serviços das empresas de tecnologia são capazes de traçar perfis bastante próximos da realidade para conseguir vender produtos, serviços ou anúncios. Embora tudo esteja disponível para consulta, poucos realmente verificam ou sabem que é possível acessar essa informação. Além disso, poucos desabilitam essas funções para manter sua privacidade.

Cabe a reflexão sobre o quanto isso é desejável ou não para os fins dessas ferramentas e o quanto de informação você deseja que essas plataformas tenham sobre você. Uma coisa é certa: não existe a escolha de não utilizar essas plataformas, já que para estar conectado você em algum momento precisa utilizá-las. Cabe então, verificar até que limite você deseja abrir informações sobre você mesmo.


Erik Fontenele Nybo, cofundador da EDEVO e head de inovação no Molina Advogados. Foi gerente jurídico global da Easy Taxi, tendo criado o departamento jurídico e foi responsável pelas questões legais em todos os países de atuação da empresa. Autor e coordenador do livro “Direito das Startups” (Juruá), autor no livro “Regulação e Novas Tecnologias” (Forum) e coordenador do curso “Direito em Startups” no INSPER. Pesquisador do GVCEPE – Fundação Getúlio Vargas. Advogado formado pela Fundação Getúlio. Email para contato.