A Qualcomm Ventures, braço de investimentos da Qualcomm Incorporated, e o BNDES, anunciam o lançamento de um fundo de investimento em participações de R$ 160 milhões focado em startups que desenvolvam produtos e serviços para Internet das Coisas (ou Internet of Things – IoT). Com o objetivo de fomentar o desenvolvimento de IoT no Brasil, o fundo irá apoiar startups em estágio inicial (capital semente e financiamento de série A).

Ambas instituições planejam investir 50% do valor total esperado para o fundo, o equivalente a R$80 milhões. Outros investidores serão convidados a participar e ajudar na composição do valor integral. O fundo será administrado por um gestor profissional a ser selecionado pela Qualcomm e pelo BNDES através de um edital de seleção, disponível no site do Banco. Os gestores de fundos de investimentos em participações poderão encaminhar suas propostas até o próximo dia 7 de fevereiro.

“A criação deste fundo está em linha com a visão estratégica da Qualcomm de impulsionar o ecossistema de Internet das Coisas no Brasil. Queremos nos engajar com empresas líderes em diferentes verticais, de maneira a explorar o potencial do país como produtor de tecnologia”, explica Rafael Steinhauser, Vice-Presidente Sênior da Qualcomm Serviços de Telecomunicação Ltda. e Presidente da Qualcomm para a América Latina. “Além do aporte financeiro, contribuiremos também com nossa expertise em IoT, afinal estamos desenvolvendo tecnologias nesse campo há pelo menos uma década”, complementa o executivo.

“O lançamento do fundo vem em um bom momento de retomada do crescimento econômico e contribuirá para o desenvolvimento do ecossistema de startups e de IoT. Fundos como esse são instrumentos inovadores para fomentar o empreendedorismo no Brasil, principalmente em setores de maior risco, como o de tecnologia”, afirma Gustavo Montezano, Presidente do BNDES.

A política de investimentos do fundo deve contemplar empresas com aplicações de hardware, software e análise de dados, voltadas para áreas estratégicas, tais quais: manufatura 4.0, smart cities, saúde, smart agro e IoT residencial. Além disso, o fundo está alinhado com o Plano Nacional de Internet das Coisas, política pública lançada em junho de 2019 com o objetivo de desenvolver o ecossistema de IoT no Brasil. Está alinhado, também, com a nova regulamentação da Lei de Informática que permite que empresas fabricantes de eletrônicos invistam recursos incentivados em Fundos de Venture Capital.