* Por Tamy Lin

Eu decidi empreender com o propósito de contribuir para a mobilidade do país. Meu primeiro trabalho após a faculdade foi no Plano Diretor de Transportes Intermunicipal de passageiros na Secretaria de Transportes do Estado de São Paulo e, após mais de 15 anos, voltei a me conectar com este propósito.

Essa foi a motivação que me levou a buscar modelos de negócios que promovessem a economia criativa e incentivassem novas soluções de mobilidade urbana. Após muitas pesquisas, em 2017, escolhi o mercado de compartilhamento de veículos peer to peer para colocar esse objetivo em prática. 

Desde então, estou à frente da moObie, uma plataforma de carsharing que fomenta a cultura de carros compartilhados na sociedade. Com um app intuitivo e prático, a empresa aproxima pessoas interessadas em otimizar o investimento feito em um carro e obter uma renda extra (o proprietário) de pessoas que procuram um meio de transporte seguro e acessível (o usuário). Atualmente, ela comporta mais de 420 mil pessoas conectadas e 40 mil veículos cadastrados de todas as regiões do Brasil. 

A ideia de montar um negócio para promover a sustentabilidade nas grandes cidades surgiu após uma viagem e depois de toda a minha trajetória trabalhando em consultorias de estratégia, entre elas BCG, e grandes organizações no Brasil e no exterior, sendo o último trabalho como Diretora na Smiles S.A. 

Nestes três anos empreendendo, minha avaliação é que empreender e se conectar com um propósito é muito realizador. Sem propósito, imagino que as dificuldades e desafios seriam muito mais pesados para lidar no dia a dia. 

Como unir empreendedorismo + propósito de vida? 

Ter coragem para desafiar o status quo e abrir espaço para que oportunidades irresistíveis apareçam (um caminho comum é tirar um período sabático para estudar, viajar etc). No meu caso, a resposta veio após anos de reflexões e trabalhos de autoconhecimento como terapia, coach, mentorias etc. Ficou claro que eu precisava pedir demissão do meu emprego e me dedicar a um sabático e meses depois a resposta do empreendedorismo veio muito clara.

Busque suporte financeiro: busque investidores alinhados com o seu propósito e, se possível, com interesses alinhados não só no curto prazo

Ouça a voz experiência: trazer pessoas mais experientes para trabalhar na empresa, que consigam trabalhar com mais autonomia, permite que se acelere o ciclo de aprendizados e até se evite alguns erros na trajetória. O apoio de mentores e consultores genuinamente interessados em contribuir com a empresa também acelera reflexões, aprendizados e a tomada de riscos.  

Peça ajuda: abrir um negócio exige conhecimento em muitas áreas que geralmente não dominamos, por isso, é importante conhecer as suas limitações e ter humildade para pedir ajuda. Faça muito networking de qualidade sobretudo com outros empreendedores. 

Pratique o que você acredita: construir confiança é fundamental com investidores, time, mercado e é preciso ter coragem para defender o que vc acredita. Algumas vezes você errará como eu, mas estará em paz que fez o que realmente achava que precisava ser feito com as informações e contexto que tinha no momento.


Tamy Lin, CEO e fundadora da moObie, maior plataforma de compartilhamento de veículos da América Latina.