A Amazon.com anunciou nesta semana que desenhou um processador mais potente para centrais de processamento de dados, em uma tentativa de se posicionar como uma competidora diante das líderes de mercado Intel e AMD.

O processador AWS Graviton 2, que a Amazon estima ser sete vezes mais rápido que o chip anterior da empresa, usa tecnologia da britânica ARM.

A Reuters publicou na semana passada que a Amazon estava projetando um chip para datacenters para equipar sua unidade de negócios de computação em nuvem.

Com o novo processador, a Amazon está tentando reduzir a dependência de processadores da Intel e AMD de sua unidade de computação em nuvem AWS.

A Intel atualmente controla mais de 90% do mercado de processadores para servidores e a AMD praticamente todo o restante.

A Amazon também anunciou nesta terça-feira que está ampliando para redes 5G suas operações de computação em nuvem por meio de uma parceria com a operadora norte-americana Verizon Communications. Com isso, desenvolvedores de software poderão executar programas sensíveis à latência em redes móveis e dispositivos conectados.

O lançamento, chamado de AWS Wavelength, é uma de várias formas que a Amazon Web Services está ingressando em novos mercados, como o de videogames.

Fonte: Agência Reuters