A Vitta anunciou hoje, durante o CASE 2019, uma parceria com a Associação Brasileira de Startups para oferecer benefícios aos clientes que utilizem os serviços da startup. A partir de agora, os clientes da empresa – que são exclusivamente startups – contarão com todos os benefícios dos associados da Associação Brasileira de Startups. Além disso, a ABStartups receberá royalties de todos os produtos da Vitta, garantindo assim uma receita recorrente para a Associação.

“O que nós queremos com esta parceria é gerar perenidade para a ABS. Nós somos uma startup também e conhecemos de perto os desafios deste ecossistema. Nosso objetivo é agregar cada vez mais valor para os empreendedores”, explicou João Alkmim, CEO da Vitta.

Plano de saúde com remédios

A Vitta apresentou também um modelo inédito no mercado nacional: o primeiro produto que une planos médicos à remédios de farmácias. Desenvolvido junto com a ePharma, empresa líder no segmento de benefícios farmacêuticos, o serviço – também exclusivo para startups – conta com uma rede de 8,3 mil farmácias conveniadas, incluindo gigantes como Drogaria São Paulo, PagueMenos e Extrafarma.

O beneficiário pagará apenas 10% no valor quando os medicamentos forem genéricos, e 50% se fizer questão da marca que originalmente gerou a patente. As prescrições serão feitas por médicos da Vitta Network, rede composta por profissionais que utilizam o software de prontuários eletrônicos da Vitta e possuem excelência comprovada pelo alto índice de satisfação de pacientes e resolutividade de casos. Ao receber a receita, o membro dos planos poderá adquirir os remédios apresentando o Cartão Digital do Plano de Medicamentos Vitta nas drogarias associadas, todas encontradas pelo aplicativo da empresa por geolocalização.

“Tudo o que fazemos é colocar nossos membros em primeiro lugar. Estamos quebrando um grande paradigma da saúde brasileira em nome de nossos beneficiários. Queremos ser o produto escolhido pelas startups e seus times. Queremos servir os missionários”, explica João.

Nos últimos anos, a Vitta desenvolveu uma rede própria de médicos ao se tornar a maior empresa de prontuários eletrônicos do país, com mais de 15 mil médicos em 25 estados brasileiros usando seu software, o ClinicWeb, para atender melhor os pacientes, gerenciar suas agendas e organizar as finanças do consultório.

“Utilizando as tecnologias que a Vitta e a ePharma desenvolveram, os médicos podem fazer suas prescrições a partir de uma lista de mais de sete mil itens, que contempla 96% dos princípios ativos mais prescritos. Já o farmacêutico autoriza a transação nas lojas por meio de um software e o usuário paga sua contribuição na própria farmácia”, diz.

Enquanto os primeiros planos para startups que a Vitta lançou no país recentemente, juntos às seguradoras Omint e Unimed, custam cerca de 15% a menos que as apólices convencionais, as assistências com medicamentos têm ainda valor médio 10% mais em conta que o serviço equivalente tradicional e sem medicamentos. Segundo o executivo, além de ser um serviço pioneiro no país, a empresa aposta que o produto será um divisor de águas no mercado ao inverter a lógica de monetização da saúde suplementar brasileira.

Para Luiz Carlos Monteiro, presidente da ePharma, 90% das patologias podem ser tratadas ambulatorialmente com medicamentos, mas a população ainda convive com dificuldades de acesso e não recebe estímulos para monitorar adequadamente sua saúde. “É gratificante constatar que os principais players ligados ao setor estão integrando conhecimentos e recursos em prol da assistência farmacêutica e da melhoria da jornada do paciente. Só assim podemos mudar uma cultura baseada no combate à doença e que não prioriza o cuidado preventivo”, avalia Monteiro.