Acelerar a criação e desenvolvimento de jogos de alto impacto social é o desafio da Aceleradora Games for Change, que a USP lança no dia 5 de dezembro em São Paulo. A iniciativa será uma subsidiária da G4C Accelerator de Nova York, em parceria com as agências da ONU para drogas e crime – UNODC, para educação, ciência e tecnologia – Unesco e apoio da Associação Brasileira da Indústria de Jogos, Abragames.

“A indústria brasileira nascente na área de jogos digitais já se mostrou tão criativa e competente quanto as melhores do mundo em segmentos como aventura, fantasia e simuladores. Mas é óbvio que nosso potencial criativo precisa ser dirigido para a solução de problemas de natureza social, de saúde individual e coletiva, ambiental e cultural”, afirma Gilson Schwartz, que há 10 anos representa a rede Games for Change na América Latina.

A competição Pitch for Change, que faz parte da primeira edição da SPPW – São Paulo Play Week, marca o lançamento da iniciativa no Brasil. A Comissão Julgadora avalia no dia 5 de dezembro, no Centro de Estudos de Negociações Internacionais do Instituto de Relações Internacionais da USP, mais de 20 projetos pré-selecionados nas categorias ideias, protótipos e jogos em desenvolvimento avançado.

Margaret Wallace, presidente da G4C em Nova York, vem ao Brasil para participar do evento, realizado em parceria com a SP Negócios, a Coordenação de Juventude da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência. O evento recebeu todos os selos da certificação da Abragames para diversidade.

“O futuro da economia criativa no Brasil está nas mãos de quem encontrar o ‘mix’ adequado entre competição por mercado e colaboração para a solução de problemas, tanto por meio de jogos digitais quanto analógicos, brinquedos e aplicativos”, completa Schwartz.

Além de Margaret Wallace, especialistas de várias áreas como engenharia de software e computação integram a Comissão Julgadora, bem como de comunicação e artes, direito, empreendedores de sucesso, economistas, game designers e produtores experientes na criação de soluções tecnológicas para empresas.

Os vencedores terão apoio da Games for Change para levar seus projetos adiante, apresentar os resultados no festival em Nova York em junho de 2020 e atuar intensivamente no mercado internacional com apoio da Capes,a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação, que apoia a iniciativa de aproximar o grupo da USP de universidades e centros de pesquisa sobre jogos e economia criativa na Inglaterra, Alemanha, Espanha, Israel e Estados Unidos.

A Pitch for Change rompe com o modelo tradicional de incubadoras e aceleradoras que criam espaços físicos para apoiar o empreendedorismo de base tecnológica inovadora. “Nossa prioridade número um é a internacionalização e a conexão com centros avançados de pesquisa sobre gamificação de impacto”, conclui o coordenador, que é professor livre-docente do Departamento de Cinema, Rádio e TV da USP.